A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

02/06/2012 10:09

Com atendimento devagar e sem médicos, pacientes reclamam em posto de saúde

Mariana Lopes

No Tiradentes, pacientes esperavam consulta por mais de três horas, enquanto as salas dos médicos estavam vazias

Corredor do posto de saúde Tiradentes, na tarde desta sexta-feira (Foto: Mariana Lopes)Corredor do posto de saúde Tiradentes, na tarde desta sexta-feira (Foto: Mariana Lopes)

Posto de saúde cheio, pacientes pelos corredores aguardando consulta médica e o atendimento lento. Segundo uma das enfermeiras que estava de plantão na tarde desta sexta-feira (1), havia três médicos para atender os pacientes que estavam no posto de saúde, porém, era comum as salas dos médicos plantonistas estarem vazias.

Marcos Aurélio Monfort, 42 anos, chegou à unidade às 14h, com o "pulmão queimando, com dor para respirar e febre interna", como ele próprio descreveu. Após passar pela triagem e relatar os sintomas, ele ficou no corredor aguardando ser chamado para a consulta. Por volta das 17h30, ao perceber que os médicos não chamavam mais pacientes, ele foi em busca de informação.

Ao questionar a mesma enfermeira sobre a demora, ela mostrou a Marcos uma escala dos médicos que estavam atendendo e, em tom ríspido e irônico, disse que a ficha dele não era prioridade e ele teria que aguardar. Quando Marcos tentou argumentar que estava realmente passando mal e com febre, a enfermeira disse que essa informação não batia com o que ele havia dito na triagem.

"O senhor quer que a gente adivinhe o que está sentindo?", foi a resposta que ele recebeu da enfermeira, antes de, sem outra escolha, voltar ao corredor, sentar e aguardar ser chamado por algum médico que estava em qualquer lugar do posto de saúde, menos na sala de consulta.

Silvia Regina Rodrigues Pereira, 29 anos, também estava no posto Tiradentes desde às 14h. Os sintomas eram de gripe, com dor no corpo, na cabeça. Lá pelas 18h, ou seja, cerca de quatro horas de espera, ela também tentou alguma explicação sobre a demora no atendimento, e o que recebeu foi uma resposta atravessa de uma enfermeira. "Ela disse que não tem outro jeito, que agora vou ter que esperar trocar o plantão", conta.

Indignada com a situação, Silvia questionou: "Cadê os médicos: Desde que estou aqui só vi um, o outro chamou um paciente só e nunca mais", denuncia.

Ao lado dela, com o pé e as mãos inchados, Jéssica de Lima, 20 anos, também aguardava. Ela caiu da escada durante o expediente e foi ao posto para fazer raio-x e ser medicada. "Passei pela triagem, meu caso é urgência, mas já faz umas duas horas que estou aqui", diz.

Quando ela chegou, às 16h, a enfermeira disse que um dos médicos estava atendendo uma criança com convulsão que havia dado entrada no posto de saúde. Porém, segundo os pacientes que aguardavam consulta, esse argumento estava sendo dado desde o início da tarde.

Grávida de sete meses, Dayane esperava por atendimento por mais de três horas (Foto: Mariana Lopes)Grávida de sete meses, Dayane esperava por atendimento por mais de três horas (Foto: Mariana Lopes)

Com o braço e o ombro ralados, Guilherme Vignoli, 27 anos, caiu de moto e foi para o posto de saúde para fazer curativo. Ele chegou ao local às 15h30 e às 18h30 ainda não tinha sido atendido. "Até para darem um papel comprovando que dei entrada aqui está difícil, é uma má vontade que não dá para explicar", aponta.

Dayane Silva de Souza, 20 anos, está no sétimo mês de uma gestação de risco e ontem foi ao posto porque estava sentindo muita cólica. "Cheguei aqui umas três horas e ainda não fui atendida", conta. Segundo ela, não é a primeira vez que isso acontece.

"Quando eles não conseguem resolver aqui, me mandam para o HU. É ruim, mas o que eu vou fazer? Estou com dor e este é o sistema de saúde", diz a gestante.

Sempre que questionada sobre o problema no atendimento em postos de saúde, a assessoria da Prefeitura alega que há déficit no quadro de médicos e que há convocação para melhorar o quadro.



infelizmente, temos que passar por esta situação pelo sus, em relaçao ao atendimento(as vezes as atendentes acham que estamos pedido esmola, desde quando nos é que pagamos o salário delas) deveriam fazer uma triagem para colocar pessoas para atendimentpo ao publico, doente, pois quando vamos ao posto, ou hospital, nós é que temos que ter piscologia para lidar com os atendentes, desde quando deveri
 
ana cristina queiroz caldas em 31/08/2012 08:10:25
A saúde em Campo Grande é um caos não é de agora, deveria ser referência para Mato Grosso do sul o atendimento médico de Campo Grande , pois o governador é médico, o Prefeito é médico, e a saúde aqui é uma vergonha...
 
Jéssica Muniz em 03/06/2012 12:04:30
Infelizmente o poder público está muito ocupado, destruindo, fiscalizando e autuando a retirada das fachadas particulares dos prédios comerciais na nossa cidade, deixando ela com aspecto horrível. Estão sem tempo para saúde, educação e outras coisas que sempre ficam em segundo, terceiro, quarto plano.
 
Elcio Marconato em 03/06/2012 07:33:48
CADE O PREFEITO QUE NESSAS HORAS PODERIA ESTAR ATENDENDO ,CONVOCANDO E FISCALIZANDO A PRESENÇA E O ATENDIMENTO QUE NÔS É DADO, SEM CONTAR QUE TUDO ISSO SOMOS NÓS QUE PAGAMOS. CREIO QUE ATÉ QUANDO ESTIVERMOS MAIS PRÓXIMOS DAS ELEIÇÕES AS COISA MELHOREM UM POUQUINHO.
 
kleber ribeiro leal em 02/06/2012 12:46:07
O povo gosta! Dinheiro do IPTU não está indo para estas obras que estão à vistas. Isto é verba do PAC. Temos um Governador e um Prefeito médicos, e daí? Na eleição professores, "puliças" e os do serviço da Saúde votarão neles e em quem eles apresentarem. São "bunitins"! O povo gosta de votar nos estrangeiros e "bunitins". Cda povo tem o governo que merece.
 
Ezio José em 02/06/2012 11:31:15
O pior é que ñ é só na saúde pública que anda assim, minha sobrinha de 7 anos passou 16 horas no ProntoMed da Santa Casa de 5ª p/ 6ª, com febre oscilando de 39 a 39,7º, sendo que a cada medicação a febre subia mais.
Pasmem: ela ficou esperando o resultado do exame de urina que não foi impresso POIS NÃO TINHA PAPEL NO LABORATÓRIO! E pra piorar, o exame saiu errado, era de outra pessoa! ABSURDO!
 
Lana Carolina Lübe em 02/06/2012 10:42:17
O que está acontecendo é que os poucos médicos que tem ganham pouco,e assim outros não querem entrar nessa fria de encarar um posto lotado.Falta médicos competentes,falta tbm médicos que honram seu juramento,trabalham sem profissionalismo,sem ética e somos nós que pagamos o pato!!!!
Senhor prefeito,a saúde em primeiro lugar...
 
kelly regina correa macedo em 02/06/2012 10:13:28
Na rede particular, não está diferente; pagando plano particular, fiquei 03 horas para ser atendido no hospital da criança; havia apenas um plantonista para atender muitos pacientes...pagando pela segunda vez (plano particular) está assim, imagina quem paga o SUS...é lastimável!
 
Antonio Júlio Miranda Desmarest em 02/06/2012 08:44:51
O povo não quer brigar, discutir, o povo quer somente seus direitos respeitados e tambem ser respeitado. Isso é lei!!! A constituição nos faculta isso. Todos os dias se vê os direitos do povo serem patrolados por maus servidores publicos que se acham os donos do mundo. Normal se chegar em uma secretaria e varios servidores batendo papo entre eles. E ninguem te atende.
 
alfredo carvalho em 02/06/2012 07:55:55
Falta aos senhores secretarios de pasta, explicar aos servidores que eles são( SERVIDORES DO POVO), e que o povo é que é o patrão. Se não aceitarem as regras que procurem outro lugar para trabalhar Esta lei do desacato é um absurdo!!!!
E quando o patrão(POVO), sofre o desacato??? O que é mais normal do que se pensa!!! A quem o patrão (POVO) , reclama??? O titular da pasta nunca esta na secretaria
 
alfredo carvalho em 02/06/2012 07:50:03
Não existe fiscalização para ver como estão trabalhando os servidores publicos. O povo que tem o direito sim de reclamar!!!! E eles tenhem por força de lei de escutar e cumprir com sua devida função sem reclamar. São em sua maioria pessoas sem educação e que se acham no direito de tratar o povo mal e se são contestadas a primeira coisa que falam é que a pessoa que lhe contestou é GROSSA.
 
alfredo carvalho em 02/06/2012 07:44:50
Normal as funcionarias(os) dos postos se sentirem as donas(os), dos postos e maltratar o povo.
O servidor publico brasileiro deveriam serem obrigados ha consultar o dicionario da nossa lingua, para saber o significado da palavra SERVIDOR. Ele não se coloca no devido lugar, de servidor do povo que o paga, via (impostos) , prefeitura, estado e nação.
 
alfredo carvalho em 02/06/2012 07:39:18
IPTU altíssimo e não temos nada em contrapartida. Seria melhor cada um arcar com suas despesas. Na última terça feira à tarde levei minha filha ao P. S. V. Almeida e a decepção era geral. Lotado, apenas um médico "atendendo" toda aquela gente. Solicitei atendimento de emergência, mas quase levei uma pedrada do médico. A saída foi procurar atendimento na rede privada. Quem é que paga por isto?
 
Juvenal Neto em 02/06/2012 07:16:16
Infelismente nao é so posto tiradentes q ta asim nao, ontem fikei por volta de 04 horas na prontomed Santa Casa com meu filho febre 39,4 e dor cabeca fiz consulta e não consegui se quer fazer hemograma la porqe atendimento pésimo desumano PREFEITO ACORDA para de encher cidade area de lazer , PARQUE , SHOPPING, A POPULAÇÃO PRECISA DE SAUDE,,, CHEGA INVESTIR LAZER SE POVO MORRENDO FALTA MEDICOS
 
rosilene leonel em 02/06/2012 06:33:01
Prefeito Nelsinho Trad, Deputado Estadual Marquinho Trad, Deputado Federal Fábio Trad, vocês tiveram sorte, pois seu saudoso Pai, quando enfermo, não precisou de ser atendido por qualquer Posto de Saúde da nossa capital. Foi atendido em São Paulo. Ele, como todos aqueles que confiaram e votaram na família Trad não merecem esse descaso da saúde pública de Campo Grande.Nenhum campo-grandense merece.
 
Álvaro Roberto em 02/06/2012 05:57:42
E a gente continua vendo os desvios, o mais recente agora em Corumbá, das verbas para a saúde, educação e segurança pública, por políticos corruptos e nada acontece com eles.Em verdade, até um ex ministro da nossa Corte, Márcio Tomaz Bastos, defende uma quadrilha de ladrões de verbas públicas e terá seus hon´rios pagos com esses milhões desviados pela quadrilha. Ate´quando vamos aguentar isso?
 
àlvaro Roberto em 02/06/2012 05:52:54
foi constatado uma fratura no úmero. O médico plantonista encaminhou para a Santa CAsa para cirurgia. Sorte da mãe que estava acompanhada com a Orietadora da Escola. Caso contrário o aluno e sua mãe não teriam como ir para a santa casa para a cirurgia. Nesse caso como procederia a mãe com o filho, com o ombro fraturado? Pegaria um ônibus? Como pegar um táxi se não tinha condições financeiras?
 
álvaro roberto em 02/06/2012 05:48:46
Recentemente precisei ser atendido nesse posto e infelizmente estava muito mal e fiquei esperando por mais de 3 horas. Quando pedi informação a uma enfermeira ela veio com pedras nas mãos. Recorri a assistente social e ela foi muito grossa também. Precisei retornar 3 dias, por suspeita de dengue, todos os médicos foram simpáticos e atenciosos, porém não posso dizer o mesmo de outros funcionários.
 
Marcos Ribeiro Agosinho em 02/06/2012 05:47:55
A culpa esta na gestão atual que se preocupa com a construção de novas unidades sem valorizar o profissionais de saúde com salários defasados com falta de condições minímas de trabalhos fartura de medicamentos materiais etc OS AMBULATÓRIOS NÃO FUNCIONAM AHI SUPERLOTA AS UPAS E CRS.ANTES DE VOTAR O ELEITOR DEVE AVALIAR OS CANDIDATOS E NÃO VENDER O VOTO E FICAR RECLAMNDO DEPOIS .ELEITOR VOCÊ FISCAL
 
LUIS JÚNIOR em 02/06/2012 05:47:28
A saúde de Campo Grande, administrada por um médico, está um caos. Como dizem por aí...quem não tem dinheiro, se depender da saúde pública morre. Semana passada um aluno meu precisou de um atendimento de urgência, no Posto da Coronel Antonino não tinha aparelho de Raio-X funcionando. Levado para a UPA da Vila Almeida, foi deixado lá pelos Bombeiros. Após o Raio-X, ...ainda continuo
 
álvaro roberto em 02/06/2012 05:45:29
mais respeito com o povo,é só isso que a gente precisa,
é muito fácil prometer um monte de coisas nas eleições,
mas cumprir essa promessas depois é difícil.
 
gileno pinheiro da silva em 02/06/2012 05:31:30
Sr. Prefeito monte um esquema de fiscalizar estes médicos, se não querem trabalhar e cumprir escala, caem fora!!!, existem muitos médicos em nossa capital sérios.
Agora tratar o ser humano desta maneira é muita irresponsabilidade, é a vida nas mãos deles.
 
Haroldo Silveira em 02/06/2012 05:17:30
Todos os postos estao assim , o do Vila Almeida é a mesma coisa, os médicos só batem cartão , atendem um ou outro e vão embora , e é um mal atendimento orrivel , os atendentes da rede publica depois da lei de desacato são uns mal educados , temos que pensar nisso na hora do voto minha gente , isso que o prefeito e o governador são médicos.
 
lisa-souto@gmail.com em 02/06/2012 05:10:49
Eu me pergunto o que uma "enfermeira" dessas faz num posto de saúde lidando com pessoas? e outra o governo do estado está gastando milhões com o tal aquário e alega não ter dinheiro pra contratar médicos né, então povo campo grandense, quando ficar mos doentes vamos ao aquário em busca de médicos quem sabe lá a gente consegue ser bem atendido!
 
Oswaldo Benites em 02/06/2012 04:39:24
A verdade é que a saúde pública vai de mal a pior. Não é só neste posto q acontece isso, é por toda a cidade. Qquer pessoa que utilize os postos sabe disso. Os 24 horas e as UPAs nem se fala, são terríveis, já passei por essa experiência no CRS Moreninhas e na UPA do Coronel Antonino. Chorava de dor e não era urgente, demorei umas 4 horas p ser atendida. Calamidade a saúde pública em Campo Grande.
 
Regiane Silva em 02/06/2012 03:32:11
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions