A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

11/05/2016 12:25

Sem previsão de obras, Capital deve continuar sofrendo com chuvas

Prefeitura realiza ações paliativas para controlar força das águas

Leandro Abreu
Rotatória da Rachid Neder com Ernesto Geisel estava tomada pela lama na manhã de hoje. (Foto: Marcos Ermínio)Rotatória da Rachid Neder com Ernesto Geisel estava tomada pela lama na manhã de hoje. (Foto: Marcos Ermínio)

Sem previsão a curto prazo para ações de infraestrutura de contenção de enchentes e fortes chuvas, Campo Grande deve continuar sofrendo com os estragos causados como os da noite desta terça-feira (10), quando córregos transbordaram, muros caíram e carros foram arrastados pela força das águas. A Prefeitura da Capital trabalha por enquanto com ações paliativas como limpeza de bocas de lobo e desobstrução de galerias e canais para que a água escoe com mais facilidade.

Enquanto isso, todas as vezes que a chuva for mais intensa, a possibilidade de que os problemas se repitam é grande. “Campo Grande aguenta uma chuva normal, mas não 100 milímetros por dia, como foi ontem. Nossa drenagem é defasada. Seria necessário dobrar a capacidade, pois os problemas se acumularam e as chuvas também estão mais fortes. Até tem projeto para melhorar, mas depende de verba. Nenhuma cidade do Brasil está preparada para aguentar 100 milímetros”, disse Walmir Lima, coordenador da Defesa Civil de Campo Grande.

Ainda conforme o coordenador, com o aumento da força das chuvas, nos últimos anos algumas regiões da Capital que não tinham problemas, passaram a ter. “Nos últimos cinco anos, por exemplo, a avenida Rádio Maia, na Vila Popular, não enchia, mas ontem alagou. Temos um levantamento das áreas mais criticas e estamos monitorando”, completou.

Para hoje, a previsão de chuva continua, mas sem a mesma intensidade de ontem. “Estamos com as equipes do dia trabalhando normal e mais equipes de prontidão, para caso haja necessidade, serão acionadas. A previsão é de chuva moderada, mas para ontem também era e choveu aquilo tudo. Vamos torcer para não se repetir, mas se acontecer estamos preparados”, concluiu.

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a previsão de chuva continua até amanhã (12). “O que ocorreu são áreas de baixa pressão que fazem com que ventos úmidos se encontrem e provocam chuvas. Para hoje e amanhã a previsão é de chuva, mas de forma mais fraca. Já a partir de sexta-feira (13), as chuvas param e no fim de semana as temperaturas voltam a subir”, explicou o meteorologista Franco Villela.

Os termômetros devem variar nesta quinta-feira entre 16°C como mínima e 25°C como máxima. Já a partir de sábado (14), as máximas voltam a ultrapassar os 30°C. Durante a manhã de hoje, equipes da prefeitura estavam em alguns locais afetados para limpar a lama e os destroços deixados pela enxurrada, como na rotatória das avenidas Rachid Neder e Ernesto Geisel.

De acordo com a prefeitura, as ações de curto prazo realizadas são a limpeza de bocas de lobo, desobstrução de canais e galerias, além de incentivar a comunidade a manter áreas de infiltração nos terrenos particulares e áreas verdes. Conforme o setor de comunicação do Executivo municipal, as regiões que mais sofrem com as chuvas são do Imbirussu, Segredo, região da Duque de Caxias, em frente ao Shopping Campo Grande e a região do Sóter.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions