ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, QUINTA  03    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Sem reajuste, enfermagem da Santa Casa decide ir à Justiça e não descarta greve

Eles também cobram pagamento de 10 mil horas extras atrasadas e FGTS de 2018 e 2019 que não foram recolhidos

Por Clayton Neves e Ana Paula Chuva | 27/10/2020 13:47
Mais de 100 trabalhadores se reuniram no pátio em frente ao hospital na atrde desta terça-feira (27). (Foto: Silas Lima)
Mais de 100 trabalhadores se reuniram no pátio em frente ao hospital na atrde desta terça-feira (27). (Foto: Silas Lima)

Após cerca de uma hora reunidos, profissionais da enfermagem da Santa Casa de Campo Grande decidiram ir à Justiça contra proposta de reajuste salarial zero apresentada pelo hospital. Os profissionais não descartam fazer greve caso pelo menos reajuste da inflação não seja concedido aos trabalhadores.

Atualmente, cerca de 1400 profissionais de enfermagem prestam serviço na unidade. (Foto: Silas Lima)
Atualmente, cerca de 1400 profissionais de enfermagem prestam serviço na unidade. (Foto: Silas Lima)

De acordo com Helena Delgado, presidente em exercício do Siems (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul), além do reajuste salarial, os servidores cobram o pagamento de 10 mil horas extras em atraso, além do FGTS referente aos anos de 2018 e 2019 que não foram recolhidos.

Dentro do prazo de 72 horas, edital será publicado convocando os servidores para votar indicativo de greve. “Dissídio de greve não adianta. Precisamos que o juiz olhe para nós e só vamos conseguir isso, infelizmente, se interrompermos as atividades. Não queremos greve, queremos uma gestão que valorize os trabalhadores”, afirma.

Atualmente, cerca de 1400 profissionais de enfermagem prestam serviço na Santa Casa, entre atendentes de enfermagem, auxiliares de enfermagem, técnicos em enfermagem e enfermeiros.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário