ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 26º

Capital

Servidor armado imobiliza motorista e causa pânico após briga de trânsito

Pessoas que assistiram a cena criticaram atitude de agente

Por Anahi Zurutuza e Adriano Fernandes | 07/01/2017 09:17
Imagens mostram imobilização de homem na rua.(Foto: Reprodução)
Imagens mostram imobilização de homem na rua.(Foto: Reprodução)

Na semana em que uma suposta confusão no trânsito terminou em morte, a abordagem de um motorista na rua Antônio Maria Coelho causou pânico na tarde de sexta-feira (6). Testemunhas filmaram o momento que um servidor da área de segurança pública discutia com um homem, imobilizado por ele, e com uma mulher.

Os dois também teriam brigado no trânsito. Tudo aconteceu por volta das 16h na Antônio Maria Coelho quase chegando na Bahia, no Jardim do Estados.

Nos vídeos, gravados por um motoentregador de 33 anos, a mulher diz que o servidor deu um tapa na cara do motorista, que está no chão e mostra as mãos o tempo todo. Ela diz que o homem que imobilizou o condutor ameaçou as pessoas com a arma, embora nas imagens ele apareça segurando a pistola na cintura.

“Você jogou a sua maconha que você tinha acabado de fumar no chão, você estava dirigindo igual um maluco, você arremessou o carro contra mim, meu irmão, você quis me derrubar”, acusa o homem armado, que traja bermuda e camiseta.

Para o motoentregador, de 33 anos, que assistiu a cena e pediu para ter a identidade preservada, o servidor cometeu excessos. “Ele estava muito alterado, abusou da autoridade, é totalmente despreparado. Isso não pode ficar impune, porque agora estes policiais e agentes vão ficar fazendo o que eles querem”, afirmou à reportagem.

Ele relata que as pessoas que estavam próximas ao local da abordagem ficaram com medo. “Tinha crianças, idosos. Tinha gente em um restaurante que correu para dentro com medo dele atirar”.

Outra testemunha, que também pediu para não ter o nome revelado, confirma que houve pânico. “Todo mundo ficou com medo, porque ele estava com a arma na mão”.

Este entrevistado conta que o homem abordado não reagiu. “Ele foi esperto, porque se fizesse alguma coisa o cara atirava e alegava legítima defesa”, completou.

Polícia – A Polícia Militar foi acionada e uma equipe da 5ª Companhia da Polícia Militar foi até o local. Todos foram parar na delegacia para esclarecer a situação, mas ninguém quis comentar o ocorrido.

Um dos PMs que atendeu a ocorrência apenas confirma que tudo aconteceu após a discussão do servidor, que estava em uma Honda Biz, com o motorista de um Fiat Palio.

Atendimento às vítimas de acidente na Ernesto Geisel, quando empresário morreu com tiro (Foto: Simão Nogueira/Arquivo)
Atendimento às vítimas de acidente na Ernesto Geisel, quando empresário morreu com tiro (Foto: Simão Nogueira/Arquivo)

Outro caso - A morte do empresário Adriano Correia do Nascimento, 33 anos, ganhou as redes sociais com vídeos e fotos, além de gerar comoção e revolta.

O caso, que agora é investigado em sigilo, ganhou repercussão porque supostamente após uma discussão de trânsito, o motorista de uma Toyota Hilux foi morto a tiros pelo policial rodoviário federal Ricardo Hyun Su Moon, 47 anos.

Vídeos também gravaram a hora que Adriano bate o carro em um poste na avenida Ernesto Geisel e momentos depois do acidente. O policial teria atirado sete vezes contra a caminhonete e alega legítima defesa.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário