ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  21    CAMPO GRANDE 17º

Capital

"Só vi o facão depois", diz motorista rendido por mulher em surto na Capital

Motorista contou que estava assustado, mas se preocupava em manter a calma para não deixar a mulher nervosa

Por Silvia Frias e Mirian Machado | 20/01/2022 13:45
Motorista depois de prestar depoimento à polícia, em Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)
Motorista depois de prestar depoimento à polícia, em Campo Grande. (Foto: Paulo Francis)

O motorista de aplicativo ameaçado esta manhã por mulher de 26 anos em surto, disse que tentou manter a calma até conseguir socorro. “Só vi o facão depois que comecei a corrida”, contou ele à reportagem do Campo Grande News.

A mulher foi rendida próximo ao cruzamento da Avenida Mascarenhas de Moraes com a Rua 14 de Julho, depois que saiu do carro ainda armada com facão e tentou avançar em um dos militares. Ela foi atingida com tiro na perna e está na Santa Casa para procedimento cirúrgico, sem gravidade.

O homem de 51 anos disse que, há 4 anos, é motorista de aplicativo e esta é primeira vez que passa por situação extrema como essa. Quando a mulher entrou no carro, não havia nada estranho, até ele começar a dirigir em direção ao destino, na região da Mata do Segredo.

“Eu fiquei assustado, mas me preocupei em manter a calma”, lembrou. A mulher se alterava toda vez que percebia a motocicleta do primo, que a seguia para tentar contê-la.

Policiais acompanhavam movimentação da mulher. (Foto: Reprodução)
Policiais acompanhavam movimentação da mulher. (Foto: Reprodução)

Nestes momentos, o motorista tentava acalmá-la e, em certo momento do trajeto, sugeriu que ela se abaixasse no banco. Assim que viu a viatura da PM (Polícia Militar), foi a oportunidade para pedir socorro. “Aproveitei a situação e saí”, disse, contando que parou bruscamente, pulou do carro com as mãos para cima e pediu ajuda aos militares.

Depoimentos – O delegado Leandro Lacerda ouve as testemunhas do caso esta tarde e deve concluir o inquérito com indiciamento por constrangimento ilegal e resistência. Segundo ele, os relatos mostram que ela não tinha intenção de ferir ou roubar ninguém.

“Ela claramente tem algum transtorno mental”, disse o delegado. O primo da mulher prestou depoimento e disse que desde cedo, a família estava à procura dela. Ainda de manhã, ela foi encontrada na casa de uma amiga. Nervosa, ela chamou motorista de aplicativo.

Segundo este primo, ela tem histórico de tentativas de suicídio e hoje, mandou mensagens dizendo que iria se matar. A mulher faz uso de remédio para tratamento de transtorno bipolar, mas não há informações se ela havia parado de usar o medicamento ou se estava sob efeito de algum outro que tenha produzido o surto psicótico.

Nos siga no Google Notícias