A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

30/11/2015 15:57

Sob chuva e sol, pais sofrem em fila por 115 horas para ter vaga em escola

Edivaldo Bitencourt e Filipe Prado
No Bairro Rita Vieira, pais até montaram barraca para esperar abertura de pré-matrículaNo Bairro Rita Vieira, pais até montaram barraca para esperar abertura de pré-matrícula
Marcos foi o primeiro a chegar e até elaborou lista da fila em escola, onde está desde quinta-feira (Foto: Macos Ermínio)Marcos foi o primeiro a chegar e até elaborou lista da fila em escola, onde está desde quinta-feira (Foto: Macos Ermínio)

Sob chuva e sol quente, pais vão completar uma maratona de 115 horas e 30 minutos na fila para garantir a vaga nas escolas integrais de Campo Grande. As pré-matrículas começam amanhã, mas as famílias estão acampadas nos estabelecimentos desde quinta-feira (26), onde sofrem privações e se sentem humilhadas. Alguns até faltaram a trabalho para garantir uma das 140 vagas que serão abertas em 2016.

O cabeleireiro Marcos Ozuma, 50 anos, foi o primeiro a chegar na Escola Municipal Integral Professora Ana Lúcia Oliveira Batista, no Bairro Paulo Coelho Machado, na saída para São Paulo. A escola abre a pré-matrícula às 8h30 desta terça-feira, mas ele, para garantir a vaga para filho de 4 anos na educação infantil nível I, chegou às 13h de quinta-feira.

Como o critério é ordem de chegada e mora no bairro, Ozuma está confiante que vai conquistar a vaga. Ele se reveza na fila com a esposa e outro filho. Para evitar problemas, foi organizada uma lista de pessoas na fila. Até o momento, 53 pessoas estão inscritas e a maioria chegou na sexta-feira. Alguns levaram colchões para dormir na frente do estabelecimento. No sábado, eles ficaram sob a chuva.

Ozuma explica que o sacrifício vale a pena porque a escola é integral, fica perto de casa e o ensino tem reputação de ser de qualidade. “O problema é a falta de merenda”, admitiu, sobre a crise enfrentada pelos estabelecimentos neste ano.

Adriana foi a primeira a chegar na escola do Rita Vieira (Foto: Marcos Ermínio)Adriana foi a primeira a chegar na escola do Rita Vieira (Foto: Marcos Ermínio)
Daniela chegou no sábado e se reveza com 4 familiares (Foto: Marcos Ermínio)Daniela chegou no sábado e se reveza com 4 familiares (Foto: Marcos Ermínio)
Crianças estudam escola em que o ensino é considerado de qualidade (Foto: Marcos Ermínio)Crianças estudam escola em que o ensino é considerado de qualidade (Foto: Marcos Ermínio)

A confeiteira Eliane da Silva Bezerra, 36, chegou às 9h de sexta-feira e já conseguiu a 27ª colocação na fila. “Ficar na fila é humilhante, sob chuva e ainda dormir, deveriam arrumar outro critério”, lamentou-se Eliane, que espera obter vaga para o filho na pré-escola nível 2.

Já o motorista Eliel dos Santos, 46, está faltando ao trabalho para garantir uma vaga para o filho, que vai ingressar no primeiro ano do ensino fundamental. Ele contou que chegou à escola às 19h de sexta-feira. O motorista revelou que a fila só não está maior porque algumas famílias se cansaram da longa espera e desistiram.

Desempregada, Silvanira Conceição Prado, 50, não desistiu, mas só agüenta ficar na fila no período da tarde. Com problema nos rins, ela só consegue ficar na fila no período da tarde, quando a neta está na creche. A esperança é conseguir por a menina para obter um emprego integral e elevar a renda da família.

Já na Escola Municipal Integral Iracema Maria Vicente, no Bairro Rita Vieira, cerca de 70 pessoas estão até acampadas, já que levaram até barraca para a porta da escola. No sábado, durante a chuva, a direção deixou os pais aguardaram o temporal passar dentro do prédio. Eles também destacaram que podem usar o banheiro.

A diarista Adriana Lopes, 32, foi a primeira chegar no local. Ela “inaugurou” a fila às 18h30 de sexta-feira e só deve encerrar a via crucis às 7h30 desta terça-feira, quando começa a pré-matrícula. Ela conta que não tem sido fácil, já que dorme no local. A mãe e os irmãos amenizam a situação ao se revezar na fila com Adriana. A família tenta vaga para a sua filha de seis anos.

A funcionária pública Daniela Gutierrez, 32, está na fila desde sábado. Para garantir uma vaga na pré-escola nível 1, ela também se reveza com a família. “É ruim, é um sacrifício”, lamentou-se. Além de ser obrigada na fila, ela fica longe do bebê de 10 meses, que evita levar à escola para não expô-lo a riscos, como a chuva de sábado.

Serão 140 vagas nas duas escolas. As pré-matrículas serão feitas na terça e quarta-feira.

Na escola do Paulo Coelho Machado, fila começou na tarde de quinta-feira (Foto: Marcos Ermínio)Na escola do Paulo Coelho Machado, fila começou na tarde de quinta-feira (Foto: Marcos Ermínio)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions