ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  17    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Sob chuva, fieis tentam impedir indicação de substituto para "pastor do tapinha"

Grupo fez pressão para entrar no templo e confusão fez PM cancelar evento para escolha de novos dirigentes

Por Adriano Fernandes e Marcos Rivany | 28/01/2021 20:26
Fila de fieis em frente a ADM nesta quinta-feira (28). (Foto: Direto das Ruas) 
Fila de fieis em frente a ADM nesta quinta-feira (28). (Foto: Direto das Ruas)

O mais novo “capítulo” da novela envolvendo a gestão do pastor Antonio Dionizio da Silva, de 70 anos, líder da Igreja ADM (Assembleia de Deus Missões) em Campo Grande foi confusão nesta noite na porta do tempo, com direito a Polícia Militar cancelando evento.

Cerca de 300 fieis ficaram de prontidão em frente a igreja, nesta quinta-feira (28) e o protesto virou até caso de polícia. Os membros da ADM pedem a saída de Dionizio da presidência da igreja, desde que ele foi flagrado em vídeo dando tapinhas no bumbum de uma ex-funcionária da congregação.

Os fieis começaram a chegar na sede da unidade na Rua Brilhante, no Bairro Amambai, pela manhã (28), mas foram impedidos de entrar pela administração. Ao longo do dia, mais integrantes foram se aglomerando no local, e nem mesmo a chuva fez com que os fieis fossem embora.

Só por volta das 19h que os portões da igreja foram abertos, depois de muita pressão dos fieis. No entanto, devido a grande quantidade de pessoas no local a Polícia Militar foi acionada e mandou cancelar a assembleia.

Eles reivindicam que um novo líder para a igreja seja escolhido por votação e não por indicação, como o pastor pretendia fazer ainda esta noite. Dionizio pretende indicar o pastor Elias Longo para ser o seu substituto à frente da igreja.


“Eles proibiram a entrada alegando contingenciamento de público, mas a realidade é que a reunião foi pensada, justamente para que não viesse um contingente maior de pessoas e fosse aprovado a posse do candidato que o atual presidente quer colocar no lugar dele. Ele quer dar seguimento no mandado dele com o candidato da escolha dele”, explica o pastor Daniel Mendes, da ADM de Angélica.

Mesmo diante da espera do fieis ao longo do dia, o pastor Antônio Dionizio só chegou à igreja no início desta noite e sequer falou com os membros da igreja. “Eu estou aqui desde as 08h, é uma falta de respeito com nós que somos membros da igreja. Trancaram o portão, nos deixaram debaixo de chuva, mas agora empurramos e vamos entrar porque a gente quer ter o nosso direito de votar em uma pessoa que vá representar a nossa comunidade”, desabafou Evangelista Lazaro Teles.

Imagens do local, mostra a fila de fieis dando a volta no quarteirão onde fica a igreja. Vídeo mostra os fieis entrando em disparada no local, após a abertura dos portões. Também é possível vê-los revoltados dentro do templo em meio à confusão.

"Falta de respeito. Eu tenho é 20 anos de dizimo pago", grita um homem que aparece na filmagem. Segundo os fieis até policiais à paisana teriam estado em frente à igreja durante a tarde, a pedido da igreja, para garantir que eles não entrariam no prédio. “Hoje os membros dessa igreja não tiveram o direito de entrar, tomaram chuva torrencial, pessoas de idade, doentes, isso é desumano. É um absurdo, é ridículo”, comenta Neuza Jaconiza, que é uma das ministras da igreja.

Segundo o pastor Jessé Linhares, os membros só querem ter o direito de poder escolher democraticamente, um novo líder. “Nós queremos que o nosso líder (Dionízio) venha a renunciar e sair da presidência, porque nós temos o estatuto de fé que é a bíblia e que ele está descumprindo. Ele não está obedecendo a palavra de Deus. A igreja se reuniu em massa hoje, porque não queremos mais esse líder. Queremos uma outra eleição, queremos ter a liberdade de escolher um novo líder, um líder que realmente venha pregar, e venha nos ensinar a viver dentro daquilo que é a palavra de Deus, por isso estamos aqui lutando”, conclui.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário