ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUARTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

Ministros acusam pastor do tapa no bumbum de intervir em eleição na igreja

Ministros foram hoje à sede da Igreja Assembleia de Deus Missões para protocolocar documento contra pastor Dionízio

Paula Maciulevicius Brasil e Bruna Marques | 27/01/2021 13:56
Sede da Assembleia de Deus Missões. (Foto: Henrique Kawaminami)
Sede da Assembleia de Deus Missões. (Foto: Henrique Kawaminami)

Assembleias extraordinárias fora do estatuto, atos indecorosos, escândalos. Nesta quarta-feira (27), ministros da Igreja ADM (Assembleia de Deus Missões) foram até a sede do templo, na Rua Brilhante, protocolar um documento contra o pastor Antonio Dionizio da Silva, de 70 anos, líder da ADM de Campo Grande. Dionizio vem tomando os noticiários desde a publicação do vídeo em que aparece dando tapinhas no bumbum de uma ex-funcionária da igreja.

Rudi e Lázaro são ministros que protocoloram documento contra pastor Dionizio. (Foto: Henrique Kawaminami)
Rudi e Lázaro são ministros que protocoloram documento contra pastor Dionizio. (Foto: Henrique Kawaminami)

Ao Campo Grande News, os evangelistas, espécie de ministros da igreja que dividem responsabilidades na igreja com pastores, Rudi Carlos Quintana e Lázaro da Rosa Teles, afirmaram que contra Dionizio já existe um procedimento disciplinar correndo pela Conadems (Convenção dos Ministros das Assembleias no Estado de Mato Grosso do Sul), mas que o pastor vem fazendo manobras estatutárias para tentar permanecer na presidência da Convenção.

Segundo os ministros, foi feita uma assembleia geral extraordinária no dia 21 de janeiro, contrariando o estatuto da igreja que já havia realizado a reunião no dia 29 de dezembro e marcado outra para o próximo dia 28.

"Entre essa reunião do dia 29 de dezembro e a convocação para a do dia 28, eles fizeram uma outra de forma obscura e irregular e passaram uma lista em branco para os irmãos que estavam assinarem sem nem falar do que se tratava", diz Rudi. Os ministros ainda apontam envolvimento do advogado de Dionizio e dizem que vão representar contra ele também na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Abaixo-assinado - Ainda conforme os ministros, foi coletado um abaixo assinado reunindo mais de mil assinaturas de fieis que pedem a apresentação de uma nova diretoria. Se colocando como porta-vozes dos membros, Rudi e Lázaro declaram que "esperam que o pastor atenda ao clamor dos fieis, abra uma eleição onde possam ser escolhido um novo pastor presidente e que ele seja jubilado".

Os ministros acusam o pastor de tentar emplacar uma diretoria que está alinhada com os pensamentos de Dionizio. "Queremos uma eleição e que Deus escolha através do povo um novo presidente para a Assembleia de Deus", diz Rudi.

O Campo Grande News tentou contato com o pastor Dionizio, mas ele não atendeu as ligações.

Nos siga no Google Notícias