A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

19/06/2016 10:59

Som alto gera 80% das ocorrências da madrugada e motiva ação da PMA

Fernanda Mathias e Adriano Fernandes
No Coophatrabalho, foram 15  ligações por excesso de ruído durante a madrugada de hoje (Foto: Alcides Neto)No Coophatrabalho, foram 15 ligações por excesso de ruído durante a madrugada de hoje (Foto: Alcides Neto)

Ocorrências envolvendo volume de som alto estão sobrecarregando o atendimento da Polícia Militar pelo 190 e, por determinação do Comando Geral, a PMA (Polícia Militar Ambiental) está há dois meses desenvolvendo operações de combate à poluição sonora em diversos pontos de Campo Grande. “Tem dias em que 80% das ocorrências registradas pelo 190 são referentes ao volume de som alto, o que atrapalha os outros atendimentos”, ressalta o major da PMA (Polícia Militar Ambiental), Edmilson Queiroz.

Muitas vezes, as reclamações não chegam a virar boletins de ocorrência. De janeiro até este sábado (18) são 59 registros de ponta a ponta da cidade, desde bairros como a Moreninha II, localizado na saída para São Paulo, até o Jardim Anache, na saída para Cuiabá. Na madrugada deste domingo (19), somente os policiais do 1º Batalhão receberam 15 chamados da região do bairro Coophatrabalho.

Perturbação constante – No Coophatrabalho a corretora de imóveis Mara Lúcia de Barros, 60 anos, que mora com a mãe, Geni Maluf, 79 anos, admite: “Já perdi as contas de quantas vezes liguei para reclamar”. O problema é a concentração de veículos com volume de som alto em um estabelecimento próximo.

A padaria localizada na frente da casa dela, no cruzamento da rua Figueira com a Avenida Florestal, funciona como conveniência da noite para a madrugada e, segundo as moradoras, tira o sossego. Geni afirma que há três noites não consegue dormir por conta do barulho, uma situação recorrente e que se agrava aos fins de semana. “Eu penso que a gente mora em uma comunidade e os moradores têm que respeitar um ao outro”.

 Mara Lúcia de Barros, 60 anos e a mãe Geni Maluf, 79 anos: três noites sem dormir (Foto: Alcides Neto) Mara Lúcia de Barros, 60 anos e a mãe Geni Maluf, 79 anos: três noites sem dormir (Foto: Alcides Neto)

Proprietária do estabelecimento, Lara Carolina Pires, afirma que os funcionários têm orientação de pedirem para que os freqüentadores abaixem o volume do som e não permaneçam no local, mas que a viatura da polícia constantemente passa por lá e não nunca houve problemas. “Essa vizinha já ligou 59 vezes em uma única noite para a polícia, reclamando. Só tenho problema com ela”.

Presidente da associação dos moradores há 3 anos, Osvaldo Wiliam da Silva, ressalta que o bairro é tranqüilo e que o conflito por perturbação é pontal. O bairro tem 34 ruas e duas mil casas e mais de 10 mil moradores. Para o morador Denis Chagas, 29 anos, os comércios e residências não representam incômodo, mas as festas no centro comunitário às vezes extrapolam os limites de ruídos. Já o borracheiro Richard Marcos, 46 anos, que mora na mesma região, considera o bairro tranquilo e diz que quem reclama são sempre as mesmas pessoas.

Multa e prisão – Com as ações focadas no combate à poluição sonora, a intenção é aumentar o rigor na punição. “Estamos trabalhando com o crime de poluição sonora e não com perturbação de sossego, porque prevê reclusão de 01 a 04 anos, multa inicial de R$ 5 mil e apreensão de equipamentos de som”, explica o major Queiroz.

O foco é som automotivo, mas os policiais também percorrem estabelecimentos e residências com o decibelímetro para ferir a intensidade do som. Em casas noturnas, quando devidamente licenciadas, só resta apuração de denúncias via ação civil pública, explica a PMA.

A Lei do Silêncio, que estabelece os limites de ruídos em Campo Grande, (Lei Complementar 08/96) estabelece três turnos : diurno, entre 06h e 18h; vespertino, das 18h às 21 horas e noturno, das 21 horas às 6 horas. Os limites de ruídos são determinados não só em função dos horários, mas também das zonas da cidade.

Som alto gera 15 chamados à PM na região do Coophatrabalho durante madrugada
Durante a madrugada, policiais militares do 1º Batalhão, que atuam na região do Coophatrabalho, receberam 15 chamados durante a madrugada por conta d...
Mulher é agredida e ameaçada de morte, após reclamar de som alto em festa
Uma mulher foi agredida após reclamar do som alto em festa organizada pelos vizinhos, na cidade de Três Lagoas, distante 338 quilômetros de Campo Gra...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions