ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  22    CAMPO GRANDE 17º

Capital

Taxa de positividade em Campo Grande salta duas vezes acima da média estadual

Em duas semanas, relação de diagnósticos positivos por pessoas examinadas cresceu 15,9%

Por Jones Mário | 03/08/2020 10:19
Profissional aplica reagente em teste rápido para novo coronavírus (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Profissional aplica reagente em teste rápido para novo coronavírus (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

A taxa de positividade dos exames para novo coronavírus no drive-thru de Campo Grande saltou 15,9% em duas semanas, crescimento mais de duas vezes superior à média estadual, de 7,17%.

Segundo dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde), a estratégia de testagem no quartel central do Corpo de Bombeiros da Capital tinha, em 30 de julho, taxa de 10,2% diagnósticos positivos, ou seja, ao menos um a cada dez examinados estava com covid-19.

Na comparação com duas semanas antes - parâmetro recomendado por infectologistas, pois emula o período médio da infecção pelo vírus -, a taxa de positividade no drive-thru de Campo Grande era de 8,8%.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Taxas de positividade em Campo Grande e no Estado em 30 de julho (Infográfico: Reprodução/SES)
Taxas de positividade em Campo Grande e no Estado em 30 de julho (Infográfico: Reprodução/SES)

Até 30 de julho, o sistema no quartel dos Bombeiros havia feito 19.859 testes, entre sorológicos e por biologia molecular, com 2.018 diagnósticos positivos.

No Estado, a taxa de positividade fechou julho com percentual maior, de 20,9%, equivalente a duas pessoas infectadas a cada dez examinadas.

Duas semanas antes, no dia 16 de julho, a SES contabilizava índice de positivos em 19,5%.

Mato Grosso do Sul havia feito 116.235 exames para covid-19 até o dia 30 do mês passado. Destes, 24.287 foram confirmados para novo coronavírus.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Taxas de positividade em Campo Grande e no Estado em 16 de julho (Infográfico: Reprodução/SES)
Taxas de positividade em Campo Grande e no Estado em 16 de julho (Infográfico: Reprodução/SES)

Como já confirmado ao Campo Grande News pela médica infectologista Mariana Croda, da Faculdade de Medicina da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), o crescimento da taxa de positividade confirma a prevalência maior do vírus na Capital.

Boletim de ontem (2) da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) atualizou para 144 o número de pessoas mortas em decorrência da doença em pandemia.