A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

25/01/2011 17:16

TJ rejeita posse de professora cega aprovada em concurso da prefeitura

Marcio Breda
 

A pedagoga Telma Nantes de Matos teve sua posse como professora da Rede Municipal de Ensino negada hoje (25) pela 1ª Turma Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Deficiente visual, Telma passou no concurso da prefeitura da Capital e luta na Justiça para assumir o cargo.

Com a decisão de hoje do Tribunal de Justiça, Telma terá de esperar até a decisão final em segunda instância para saber se poderá ou não assumir o cargo.

O voto do relator, favorável à posse de Telma até que saísse a decisão final, foi derrubado pela maioria dos magistrados por unanimidade.

A polêmica começou em março quando a professora foi aprovada para um concurso público, chegou a ser nomeada, mas depois foi considerada inapta à função. A pedagoga ganhou em primeira instância no dia 28 de maio de 2010 o direito de ser empossada. A prefeitura, porém, entrou com recurso no Tribunal de Justiça.

Um acordo entre prefeitura e a professora chegou a ser feito ano passado, mas como a pedagoga não desistiu de uma ação de indenização por danos morais, o município decidiu levar a disputa judicial adiante. A pedadoga pede indenização de R$ 120 mil pelos danos morais sofridos com a rejeição para atuar na Educação Infantil do Município.



Espero que esta situação seja resolvida o mais rápido possível. Torço por um desfecho favorável a está pedagoga tão guerreira, simpática e determinada. Porque a justiça insiste em ser propensa aos barões, mesmo eles estando equivocados?
 
Marcos Ribeiro em 25/02/2011 02:07:14
As decisões do Tribunal de Justiça do MS na maioria das vezes é muito espantosa e preocupante. Os magistrados máximos do MS tem suas decisões pautadas em seu convencimento. E que convencimento hein. Sempre favorável de acordo com nome e sobrenome de figurões do Estado. Enquanto que o resto da sociedade quem paga os altos salários dos Doutos fica a ver navios. A justiça é mesma cega.
 
Nivaldo Ramos em 29/01/2011 08:29:22
Parece que o Estado e seus subordinados andam na contra mão da evolução humana.
Reitero o comentário do caro Daniel Nascimento, e acrescento, até quando nós (a população que elege e que paga o salário de políticos e juízes) ficaremos de cabeça baixa para os demandos destes.
Choca perceber que uma pessoa que se mostra capaz de superar uma deficiência tão limitante como a incapacidade visual, seja barrada por falta de preparo do poder público, mas choca mais verificar o quanto ficamos apáticos a esses acontecimentos.
 
Marcus Matos Fernandes em 28/01/2011 04:42:58
Já que não tem a vaga para professora, por que não de a ela outra atividade, na área da educação até que surja a oportunidade para excercer a função, e acaba com a polêmica.
É tão simples resolver as coisas mais o pessoal gostam de complicar, onde demanda tempo e custo.
 
maria suely em 27/01/2011 07:38:43
Concordo plenamente com os comentarios anteriores, realmente não da para entende os critérios adotados para posse de um cargo em concurso para deficientes. Ao meu ver, nossos governantes não sabem o significado dessa vitória para um portador de deficiencias, podemos ver até pela calçada da prefeitura, é uma das mais horriveis do centro da cidade e justamente ao lado do Instituto para Deficientes Visuais. É incrível como tantos que deveriam ajudar os mais necessitados conseguem impedir o seu progresso. É lamentável, mas só quem passa por essas situações é que sente, talves se algum dia o prefeito amarrar uma venda nos olhos e sair com uma bengala no centro da cidade, toda essa discução injusta se acabe. Jesus capacitou a cada um de nós para uma função, não é direito do homem impedir o que Ele determinou.
 
Mariza Benites em 26/01/2011 09:58:33
Eu não consigo entender o que essas pessoas, responsáveis pelo concurso da Prefeitura de Campo Grande, pensa. Se ela podia fazer o concurso, pagar a taxa de inscrição e tudo mais, mesmo sendo cega, pq a posse não é possível se ela foi aprovada em todas as etapas? Será que eles contavam com a reprovação dela pq é cega? Subjulgaram a capacidade dessa pessoa em ser uma profissional da educação? Que tipo de gente está no comando dessa prefeitura de Campo Grande??? Sequer deram a chance pra ela mostrar sua capacidade!!! Estamos diante de uma intolerancia a diversidade em nossa capital!? Parabéns Prefeitura Municipal de Campo Grande, pela sua incapacidade de trabalhar o respeito e a garantia dos direitos dos deficientes. QUE VERGONHA!!!
 
Ana Cristina Ferreira em 25/01/2011 08:46:09
Olha realmente é de ficar pensando:Se ela preencheu todos os requisitos do Edital?Se esta profissional teve condições de se escrever no concurso?Se ela tecnicamente provou que estava apta e passou no concurso?Não vejo problema .O que acho é que o município tem que estar preparado para estes profissionais que são realidades no mercado de trabalho.Graças a Deus eles estão ocupando seus espaços- com seu Mérito.
 
daniel mamedio do nascimento em 25/01/2011 07:42:40
Justiça adia julgamento de professora cega para dia 14
Marcado para ser realizado hoje, o julgamento da professora Telma Nantes de Matos, aprovada em concurso público mas excluída da nomeação por ser cega...
TJ suspende decisão que mandou empossar professora cega
Decisão de hoje do desembargador Joenildo de Souza Chaves, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, suspendeu a ordem judicial para que Prefeitu...
Juiz manda prefeitura empossar professora cega em 48h
Decisão do juiz de direito Fernando Paes de Campos, atendendo pedido de liminar, determina que a Prefeitura Municipal de Campo Grande emposse a profe...
Homem tem corpo queimado em acidente doméstico e morre na Santa Casa
Após dois dias internado, José Loureiro da Cruz, 49 anos, morreu por volta das 6h30 desta sexta-feira (15) na Santa Casa em decorrência de acidente d...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions