A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

08/03/2016 18:06

Transferência de moradores continua, mas 357 famílias ainda vivem em favela

Thiago de Souza e Fernanda Yafusso
Caminhão levava mudanças para o Bairro Vespasiano Martins. (Foto: Alan Nantes)Caminhão levava mudanças para o Bairro Vespasiano Martins. (Foto: Alan Nantes)
Rogério Carvalho vive incerteza de onde será transferido. (Foto: Alan Nantes)Rogério Carvalho vive incerteza de onde será transferido. (Foto: Alan Nantes)

A remoção de moradores da favela Cidade de Deus para uma área no Bairro Vespasiano Martins continuou na tarde desta terça-feira (8). Até o momento a prefeitura disse ter retirado 33 famílias da área que fica próxima ao lixão. Agora, 357 famílias aguardam trransferência para outros bairros da Cidade. 

Às 15h30, quatro caminhões baú da Prefeitura Municipal aguardavam os moradores retirar seus pertences das residências. O clima era tranquilo, com cerca de 30 guardas municipais acompanhando os trabalhos à distância. Nenhum morador ameaçou resistir a desocupação. 

Também, no local, havia barracões desmanchados, com pertences de moradores deixados pra trás. Os vizinhos ajudavam uns aos outros na hora da mudança.

O jardineiro Rogério Carvalho, 29, aguarda a ida para o novo endereço e vê vantagens em deixar a favela. “Vai ser um local meu, próprio”, comemorou.

Apesar de elogiar a tranferência para o Vespasiano Martins, por conta do terreno próprio, Carvalho disse que o futuro ainda é incerto. “Não sabemos como será o padrão das casas, se serão todas de madeira ou de lona, pois já tivemos casos onde os barracos confeccnionados com lona aqui na favela pegaram fogo”, relatou. 

A equipe do Campo Grande News, apurou, nessa segunda-feira (7), que uma área na Rua Catiguá, no Jardim Canguru, deve receber famílias retiradas da favela Cidade de Deus. A Prefeitura da Capital não confirma a informação,  e disse que os novos locais serão mantidos em sigilo por questão de segurança.  

A incerteza do morador também fica por conta da oferta de crédito para compra de materiais de construção, prometido pela Prefeitura de Campo Grande. “Enquanto não somos informados de como será esse crédito, estamos nos organizando para comprar os materiais por conta própria”.

A desocupação da favela Cidade de Deus começou nessa segunda-feira, após moradores serem notificados pela Prefeitura Municipal. O mandado de reintegração de posse da área foi autorizado, inclusive com uso de reforço policial, arrombamento dos imóveis e demolição das benfeitorias, pela 2ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos de Campo Grande na sexta-feira (4).

Barracos deixados por moradores transferidos para o Vespasiano Martins. (Foto: Alan Nantes) Barracos deixados por moradores transferidos para o Vespasiano Martins. (Foto: Alan Nantes)
Barracos que serão demolidos pela Prefeitura Municipal. (Foto: Alan Nantes)Barracos que serão demolidos pela Prefeitura Municipal. (Foto: Alan Nantes)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions