ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  19    CAMPO GRANDE 27º

Capital

UEMS suspende aulas após invasão de estudantes no campus da Capital

Por Ricardo Campos Jr. | 08/11/2016 11:15
Cartaz fixado por manifestantes na entrada da UEMS em Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)
Cartaz fixado por manifestantes na entrada da UEMS em Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)

A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) suspendeu temporariamente as aulas em Campo Grande após a invasão de estudantes contrários à PEC 241 (que tramita no Senado com o número 55) e à reforma do Ensino Médio. Segundo a instituição, as atividades administrativas estão funcionando normalmente no prédio.

Ninguém está sendo impedido de entrar no campus. Um evento ligado ao curso de Turismo está sendo realizado normalmente, assim como atividades acadêmicas de conclusão de curso.

O grupo de manifestantes tinha entre 12 e 15 pessoas, segundo constatou o Campo Grande News. Eles estão concentrados em uma sala, não permitiram fotos e dizem que irão se manifestar posteriormente por meio de notas à imprensa.

Às 10h eles se reuniram em assembleia para definir os rumos do movimento, mas o resultado ainda não foi divulgado.

Segundo a assessoria de imprensa da UEMS, a instituição irá preservar canais abertos de diálogo, entre estudantes, gerência, reitoria a fim de preservar o caráter democrático da manifestação e o direito de expressão dos que são contrários à mesma.

Polêmica – O presidente Michel Temer (PMDB) criticou os movimentos estudantis que estão sendo realizados em todo o país. Ele sugeriu que os grupos de manifestantes sequer sabem o que é e como funciona uma PEC, segundo reportagem do UOL.

“As pessoas debatem sem discutir ou ler o texto”, pontua. Ele ainda cobrou respeito às instituições e disse que o direito existe para regular as relações sociais. “Hoje, ao invés do argumento intelectual e verbal, usa-se o argumento físico. Vai e ocupa não sei o quê e bota pneu velho em estrada para impedir trânsito”.

(Colaborou Marcos Ermínio)

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário