ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, QUARTA  19    CAMPO GRANDE 30º

Capital

Um foi preso e outro é caçado por matar policiais, também suspeito de roubo

Os dois eram investigados por roubo, mas só Ozeias Silveira teria atirado

Por Marta Ferreira | 09/06/2020 21:30
William Dias Duarte Cormelato logo depois da prisão. (Foto: Direto das Ruas)
William Dias Duarte Cormelato logo depois da prisão. (Foto: Direto das Ruas)

Capturado pela Polícia Civil logo depois do duplo homicídio de dois policiais civis nesta terça-feira à tarde, William Dias Duarte Cormelato foi levado bastante assustado para a delegacia e negou qualquer participação nas mortes.

Para a polícia, a autoria dos tiros que atingiram os agentes de segurança na nuca é exclusiva do bandido que está foragido: Ozeias Silveira de Moraes, de 45 anos.

Policiais compartilharam foto de Ozeias Silveira de Moraes, de 45 anos, nas redes sociais.
Policiais compartilharam foto de Ozeias Silveira de Moraes, de 45 anos, nas redes sociais.

Segundo o diretor-geral da Policia Civil, Marcelo Vargas, a Derf investigava um roubo de joias na Rua Euclides da Cunha e chegou até William. Como ele já tinha em aberto mandado de prisão por violência doméstica, foi algemado para ir à delegacia prestar esclarecimentos.

Ozeias também é suspeito do roubo, mas sem mandado de prisão, acabou transportado apenas para averiguações. O que os policiais não sabiam é que ele entrou armado na viatura com revólver calibre 38.

Os dois homens eram transportados em veículo Fiat Mobi usado como viatura descaracterizada, quando tudo aconteceu.

William, testemunhou toda a situação e tentou fugir, mas foi recapturado. minutos depois, na mesma região.

A Derf é uma das poucas delegacias que tem carceragem grande e por isso recebe muitos presos.

Buscas - Tanto Polícia Civil quanto Militar fazem caçada por Ozeias, por terra e ar, inclusive, quem estava de folga foi convocado. Helicóptero da PM é usado e até a Policia Rodoviária Federal auxilia nas buscas nas saídas de Campo Grande.

O caso está sendo investigado pelo Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros). No local, ninguém dá detalhes, mas o entra e sai é de várias viaturas e de policiais.

As vítimas - Foram mortos os investigadores de polícia judiciária Antônio Marcos Roque da Silva, 39 anos, e Jorge Silva dos Santos, 50 anos.

Roque estava na polícia desde 2006 e Jorge, conhecido como Jorginho, era servidor público da segurança desde o ano de 2002.

Jorge, à esquerda, e Antonio, à direita, os policiais mortos com tiro na nunca em viatura. (Foto: Divulgação)
Jorge, à esquerda, e Antonio, à direita, os policiais mortos com tiro na nunca em viatura. (Foto: Divulgação)





Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário