ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Vacina contra o HPV está disponível para meninos, mas procura é baixa

Secretaria de saúde planeja lançar campanha no fim de janeiro ou início de fevereiro para incentivar imunização

Por Anahi Zurutuza e Marcos Ermínio | 09/01/2017 18:41
Renato Rodrigues, de 12 anos, foi vacinado nesta segunda-feira (Foto: Marcos Ermínio)
Renato Rodrigues, de 12 anos, foi vacinado nesta segunda-feira (Foto: Marcos Ermínio)

A procura de meninos pelas doses contra o HPV ainda é baixa, segundo a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), que ainda não levantou quantos adolescentes de 12 e 13 anos foram vacinados desde o dia 3 deste mês, quando a vacinação tornou-se obrigatória para garotos nesta faixa etária. Por isso, a Prefeitura de Campo Grande planeja lançar campanha para incentivar a imunização.

Segundo a assessoria de imprensa da Sesau, o “Dia D” deve acontecer no fim deste mês ou na primeira quinzena de fevereiro. Os locais de vacinação também ainda não foram definidos.

A vacina está disponível nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e UBSFs (Unidades Básicas de Saúde da Família). Até a semana passada, eram 15 mil doses disponíveis na rede, número que é suficiente para atender a demanda, conforme a Sesau.

Até dia 10 de fevereiro devem chegar mais 10 mil solicitadas ao Ministério da Saúde.

Apesar da baixa procura, assim que ficou sabendo que as doses já estava disponíveis a dona de casa Zilma Rodrigues da Silva, 45 anos, levou o filho Renato Rodrigues da Silva, 12 anos, para se vacinar na UBS do bairro Tiradentes – no leste da Capital. “Sempre procuro deixar a carteira de vacinação dele em dia, acho muito importante”, disse enquanto esperava o menino receber a dose.

Proteção – A vacina protege meninos contra cânceres de pênis, garganta e ânus, doenças que estão diretamente relacionadas ao HPV.

Para ficar imune, adolescentes tem de tomar duas doses, com seis meses de intervalo entre elas.
A faixa-etária obrigatória para a vacinação será ampliada, gradativamente, até 2020, quando serão incluídos os meninos com 9 anos até 13 anos, com o objetivo de proteger as crianças antes do início da vida sexual e, portanto, antes do contato com o vírus.

Os interessados podem procurar as unidades de saúde das 7h30 às 11h e das 13h às 17h munidos da carteirinha de vacinação.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário