A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Março de 2017

21/10/2016 09:12

Ventos de até 59 km/h derrubaram sete árvores em Campo Grande

Viviane Oliveira e Júlia Kaifanny
Hoje de manhã ainda saía fumaça da árvore que pegou fogo durante o temporal de ontem. (Foto: Fernando Antunes) Hoje de manhã ainda saía fumaça da árvore que pegou fogo durante o temporal de ontem. (Foto: Fernando Antunes)

No balanço pós-temporal, o Corpo de Bombeiros informa que atendeu pelo menos sete ocorrências de quedas de árvores, na tarde de quarta-feira (20), em Campo Grande. Os ventos de 59,4 km/h também destelharam três casas no Vespasiano Martins – um dos loteamentos construídos para abrigar moradores da antiga favela Cidade de Deus.

Na Vila Jacy, por exemplo, uma figueira de grande porte caiu dentro do antigo laticínio e pegou fogo na rua Iporã com a José Paes de Farias, na região Sul. Por causa do vento, os galhos da árvore encostaram na fiação de transmissão de energia elétrica e provocou um curto-circuito.

Os moradores da região ficaram sem energia, que foi restabelecida por volta das 5h20 de hoje. Além de ter ficado no escuro, o comerciante Ilson Benites, 38 anos, reclama do prejuízo. “Um galho caiu e quebrou o telhado da minha casa e do meu estabelecimento”, reclama. O empresário mora em um sobrado e, na parte de baixo funciona o comércio dele.

Segundo ele, os moradores já havia pedido em janeiro deste ano o corte da árvore para a Prefeitura, mas nunca tiveram o retorno. “Toda vez que chove, os galhos encostam na fiação. Essa não foi a primeira vez”, lamenta. Ilson reclama que até agora está sem telefone e internet. 

Dono de caminhonete teve prejuízo com queda de árvore na travessa entre o Mercadão Municipal e o prédio do antigo Colégio Oswaldo Cruz. (Foto: Direto das Ruas) Dono de caminhonete teve prejuízo com queda de árvore na travessa entre o Mercadão Municipal e o prédio do antigo Colégio Oswaldo Cruz. (Foto: Direto das Ruas)

A dona de casa Mariles Soquete, 51 anos, mora há quatro anos no bairro e conta que desde que o laticínio fechou, a árvore se tornou um problema. “Antes eles cuidavam e faziam a poda. Agora, toda vez que chove com vento forte a gente fica preocupada e com medo de algo pior acontecer”, conta. Hoje de manhã, ainda havia muitos galhos espalhados na rua.

O Corpo de Bombeiros também registrou queda de árvore na rua Alagoas, entre a Eduardo Santos Pereira e a Espírito Santos, no Bairro Jardim dos Estados, na travessa entre o Mercadão Municipal e o prédio do antigo Colégio Oswaldo Cruz e no bairro Dom Antônio Barbosa.

Conforme o meteorologista da Uniderp, Natálio Abrão, a média de chuva na Capital foi de 27,4 milímetros com ventos de 59,4 km/h. Só na região do Shopping Norte Sul Plaza choveu 39,5 milímetros. Por causa do temporal de ontem, o Aeroporto Internacional de Campo Grande amanheceu fechado.

Moradores amanheceram arrumando as casas que foram destelhadas no Vespasiano Martins. (Foto: Fernando Antunes) Moradores amanheceram arrumando as casas que foram destelhadas no Vespasiano Martins. (Foto: Fernando Antunes)
Apesar da chuva, duas cidades de MS entram na lista das mais quentes
A chuva de ontem amenizou o calor na maior parte do Estado, mas não foi suficiente para tirar Mato Grosso do Sul da lista de cidades com as temperatu...
Após temporal, aeroporto amanhece fechado para pousos e decolagens
Devido o mau tempo, o Aeroporto Internacional de Campo Grande amanheceu fechado para pousos e decolagens. Conforme o site da Infraero (Empresa Brasil...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions