ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 18º

Capital

Vítima arma emboscada e ajuda a prender golpista em cartório

Homem, de 37 anos, teve prejuízo de R$ 17 mil com a venda falsa de um veículo

Por Liniker Ribeiro e Aletheya Alves | 29/09/2020 18:15
Vítima pagou R$ 17 mil na venda falsa de um Renault Logan. (Foto: Aletheya Alves)
Vítima pagou R$ 17 mil na venda falsa de um Renault Logan. (Foto: Aletheya Alves)

Vítima de estelionato, morador de Bonito, distante 257 quilômetros de Campo Grande, ajudou a polícia a prender um dos suspeitos de praticar o crime, na tarde desta terça-feira (29). Para chegar até o autor, o homem, de 37 anos, que teve prejuízo de R$ 17 mil com a venda falsa de um veículo, armou emboscada e conseguiu encontrar o suspeito em cartório da Capital.

Ao Campo Grande News, a vítima contou ter se interessado pelo carro por meio de anúncio publicado em site de compra e vendas. Na semana passada, o homem, que mora no interior, veio a Capital após negociar o preço do veículo por meio do telefone. A princípio, uma mulher, identificada pela vítima como Karina, foi quem combinou os primeiros detalhes da suposta venda.

“Pesquisando, vi que o preço do carro estava próximo de R$ 20 mil, mas acabei encontrando ele com preço mais baixo. Pensei que fosse devido à pandemia e, como eu tinha dinheiro, achei bom aproveitar a situação”, explica o homem, que pede para não ser identificado.

A vítima relata ainda ter avançado nas negociações e que a mulher chegou a dizer que o carro, na verdade, não estava seu nome, mas sim no nome de outra pessoa, uma amiga, chamada Cintia.

“Ela disse que Cintia estava devendo para ela e, para não gerar problema e ficar um clima ruim, resolveu fazer um negócio e pegar o carro como pagamento. Marcamos de quarta-feira eu vir para Campo Grande fazer o pagamento e transferir o veículo”, revela.

O encontro aconteceu no Cartório do 6º Ofício, na Rua 15 de Novembro. “A mulher chegou lá com o carro e um homem que afirmou ser teu cunhado, chamado Júnior. Depois, outra pessoa apareceu para entregar o documento do carro, um homem que se apresentou como Gabriel. Ele só entregou o documento, perguntou se eu era o responsável que ia ficar com o carro e foi embora”.

A vítima, junto com as duas pessoas que chegaram primeiro ao local, entraram no cartório e fizeram registro para passar o automóvel para nome do comprador. Em seguida, foram ao banco, onde a vítima realizou transferência do valor cobrado.

O então novo dono do veículo também chegou a ser acompanhado por “Júnior” até oficina mecânica da Capital, onde uma das rodas do carro foi trocado. “Gastei mais R$ 250”.

Cerca de duas horas se passaram, relata. Até que o homem que o acompanhava questionou se a vítima conhecia a primeira moça com quem o interessado teve contato, Karina. “Perguntei como assim e ele chegou dizendo que não conhecia ela e que acreditava que nós tínhamos caído em um golpe. Disse que ela tinha feito uma falsa transferência para a conta dele”, afirma.

Acreditando nas palavras do suspeito, o homem solicitou que ele o levasse para pegar ônibus e retornar para sua cidade. Dias depois, ao conversar com um amigo, a vítima planejou tentar uma nova compra do veículo.

“Meu amigo entrou em contato com o número, a mesma mulher atendeu e afirmou que o carro ainda estava disponível. Combinaram encontro para hoje e eu vim de novo para Campo Grande”, relata a vítima.

A vítima conta ainda, que chegou a conseguir pesquisar os nomes dos envolvidos e que o mesmo rapaz que o acompanhou para troca da roda, apresentava dois registros como testemunhas de estelionatos. “Com o meu seria o terceiro, achei estranho”.

Com amigo policial, a vítima conseguiu planejar a emboscada. Com o mesmo veículo apresentado na primeira vez, mas desta vez afirmando ser o dono do carro, o homem foi abordado por policiais militares e conduzido à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro para prestar esclarecimentos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário