A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

15/05/2013 15:08

Vítima de sequestro, estudante fala sobre o medo de morrer

Mariana Lopes
Delegada Maria de lourdes Cano mostra a arma com a qual a estudante foi ameaçada (Foto: João Garrigó)Delegada Maria de lourdes Cano mostra a arma com a qual a estudante foi ameaçada (Foto: João Garrigó)

Era para ser uma quarta-feira como outra qualquer. A estudante, de 23 anos, que não teve o nome revelado, saiu da aula e, como de costume, iria direto para casa. Mas o terror começou às 16h, do dia 17 de abril, quando um homem a abordou assim que ela entrou no carro, que estava estacionado próximo ao 21 Bar e Lazer, no bairro Miguel Couto, em Campo Grande.

“Sou a pessoa mais distraída do mundo, só percebi a presença do bandido quando ele abriu a porta e mandou que eu fosse para o banco do passageiro”, conta a vítima.

Quem abordou a estudante foi Mário Neves de Queiroz Filho, de 27 anos. Ele estava com uma arma modelo garrucha, com a qual ameaçou a jovem, caso ela não fizesse o que ele mandava.

De lá, Mário passou na casa de um comparsa, Weverton Davi de Souza Antonio, 21 anos. Os dois, então, levaram a jovem para uma mata fechada, na saída para São Paulo, onde ela foi mantida em cativeiro por 4 horas.

No percurso, a estudante conta que chegou a pedir aos bandidos que a deixassem sair do carro. “Mas eles só diziam que era para eu ficar tranquila, pois em pouco tempo iriam me libertar”, relata a jovem.

Na mata, Weverton ficou responsável por cuidar da estudante, enquanto Mário levava o carro dela, um Renault Duster, para o Paraguai, onde vendeu o veículo por R$ 3 mil.

“Ele não me bateu, mas tive medo de morrer, a gente nunca sabe o que passa na cabeça dessas pessoas”, diz a estudante. Weverton ainda obrigou a vítima a telefonar para a mãe dela e dizer que estava tudo bem.

“Engoli o choro, incorporei a atriz que há em mim e conversei com a minha mãe, também fiquei com mede de eles fazerem algo contra ela, isso me deu forças”, lembra a jovem.

Por volta das 21h, depois que Weverton recebeu uma ligação de ordem para soltar a estudante, os dois seguiram pela rodovia e, próximo a uma rotatória, o bandido mandou que ela se virasse de costas e saísse correndo.

A estudante conta que pediu ajuda a um caminhoneiro, que a levou até a cidade. “Também tive medo de pedir carona a qualquer, mas pior do que estava não podia ficar, e ainda graças a Deus encontrei um senhor de bom coração”, diz, aliviada.

No total, cinco pessoas foram presas pelo sequestro da estudante e também por outros crimes liderados por Mário (de camiseta vermelha) (Foto: João Garrigó)No total, cinco pessoas foram presas pelo sequestro da estudante e também por outros crimes liderados por Mário (de camiseta vermelha) (Foto: João Garrigó)

Orientação - Segundo a delegada titular da Defurv (Delegacia Especializada em Furtos e Roubas de Veículos), Maria de Lourdes Cano, o relato da vítima foi essencial para a investigação.

“Ela detalhou como tudo aconteceu e descreveu bem as características dos bandidos”, afirma a delegada.

Maria de Lourdes ainda ressalta a importância de a vítima conseguir manter a calma e conseguir observar cada passo dos bandidos.

“A criminalidade está cada vez mais aperfeiçoada, eles analisam o comportamento das vítimas, neste caso, ele conseguiu saber que ela costumava ficar em casa e a ausência dela poderia levantar a suspeita da família”, alerta a delegada.

Por causa disso, a titular da Defurv orienta que pais e filhos sempre mantenham o diálogo em casa, e se possível combinem um código para que, em casos de perigo, o outro possa identificar que há algo errado.

Mário e Weverton foram presos e apresentados pela polícia na manhã de hoje (15). Outras três pessoas também foram presas por envolvimento a outros crimes liderados por Mário.



Novamente na região do BAR 21 ,,, ha quase um ano foi Leonardo e Breno agora outra vitima em plena luz dio dia,,, sera q nao ta na hora ter um seguranca la ,, ou policia dar atenção melhor nessa região,,, um local tao movimentado ali e tao sem seguranca,, pessoas tao alvo de bandido todo tempo ,,Precisamos mais seguranca nessa cidade, em vez de parque pracas linda aquario , tem investir na seguranca ,,,,, que adianta beleza na cidade se temos viver trancados tempo todo para nao ser vitima de bandidos,,,,
 
Rosilene Leonel em 16/05/2013 09:34:46
E agora? o que vão fazer com esses pilantras? vão colocar em uma prisão maravilhosa, onde eles podem dormir o dia todo, fumar quando bem entenderem, não vão precisar trabalhar para comer, porque terão comidas na hora, e outras coisas que já precenciei dentro dos presidios que visitei. Mas a melhor coisa seria pena de morte.
 
pedro Alves em 16/05/2013 08:04:36
Também já tive uma revólvere calibre 38 apontado na cabeça por um bandido bêbado. O mais grave, ele era meu colega de trabalho. O trauma destas situações demoram anos para passar. A vida e o comportamento da vítima muda. Poderia haver uma reunião destas pessoas para, em conjunto discutir, superar e tratar os traumas que fica para a vida toda. Ou se torna depressivo, ou se torna agressivo. Tudo por conta do choque vivido
 
CARLOS FERNANDO em 16/05/2013 07:32:50
Olha, eu acho q a universidade, assim como o 21, não é responsável por um crime desses, ela cumpre seu dever d manter os alunos em segurança dentro da universidade e do portão pra fora, o Estado assume esse papel! Aquela região é muito perigosa e precisa de mais policiamento, isso sim!
 
Ana Cristina em 15/05/2013 21:32:12
Na época que eu trabalhava na Uniderp e o Pedro Chaves era dono, teve uma época que contrataram seguranças para fazer rondas em volta da universidade, pois direto acontecia assaltos e sequestros relâmpagos, o Bar não tem nada a ver com isso, são estudantes da universidade, se tem algum responsável é a universidade. Pq não providenciam essa segurança, dinheiro pra isso tem e afinal os estudantes são "clientes" não?
 
Andrea Chaves em 15/05/2013 18:58:25
Gente, quando a polícia vai estar presente neste local???
os meninos que foram sequestrados e mortos tb foram pegos neste Bar!!!,
ou o Bar coloca seguranças para cuidar dos veículos,
ou a polícia terá que prestar este serviço, que seria do dono do bar.

Muita gente que conheço tem os veículos arrombados por ali, acho que tem que haver umas mudanças.
 
Fatima de Oliveira em 15/05/2013 18:37:07
Nossa cada dia que passa o mundo fica mais perigoso...tantas coisas acontecendo!
 
Nayara Silva em 15/05/2013 17:53:34
Infelizmente a região da Uniderp é perigosa a noite, lembro que a PM informou que estaria fazendo rondas para diminuir assaltos,roubos e furtos mas ficaram apenas uma semana no maximo e hoje em dia não aparece ninguém lá.
 
Diego Souza em 15/05/2013 17:00:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions