A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

08/09/2011 18:58

“Você nunca imagina que vá acontecer dentro de casa”, diz mãe de menina abusada

Paula Maciulevicius

Aos prantos, mãe de menina de 12 anos, uma das abusadas por Gustavo Frederico de Miranda, conta que havia proibido filha de ver acusado

“É muito difícil, você espera de qualquer pessoa, menos de quem você estendeu a mão”, desabafa mãe. (Foto: João Garrigó)“É muito difícil, você espera de qualquer pessoa, menos de quem você estendeu a mão”, desabafa mãe. (Foto: João Garrigó)

“A gente vê isso na TV todo dia, eu conversava com ela. Você nunca imagina que possa acontecer dentro da casa da gente”, desabafa a auxiliar de administração, mãe de uma das meninas de 12 anos, abusadas pelo técnico de informática, Gustavo Frederico de Miranda, de 34 anos.

O olhar da jovem mãe é cabisbaixo, de quem carrega a culpa de que poderia ter feito mais para evitar que a filha fosse abusada. Ao receber o Campo Grande News as lágrimas correm no rosto e a voz chega a falhar.

O sentimento que passa no coração apertado de uma mãe que soube, nesta quarta-feira da violência sexual que a menina sofria, é indescritível. “Não dá para definir o que eu sinto. É dolorido. Uma mistura de dor e indignação e a sensação de incompetência como mãe. Parece que tudo o que eu fiz pela minha filha foi em vão”, conta.

O autor dos abusos era conhecido da família, atraía as meninas com idas ao shopping, sorvetes e até festas na igreja. E estava tentando consumar o estupro com a menina de 12 anos, desde janeiro.

O caso só veio à tona depois que Gustavo pegou a menina na frente da escola, na terça-feira. A direção do colégio entrou em contato com a mãe para informar que a menina não tinha ido a aula. “Como ela não era acostumada a faltar, a diretora me avisou. Eu comecei a ligar e ela não atendia, aí mandei mensagem dizendo que a Polícia estava atrás dela”.

Na sequência, a mãe conta que a filha mostrou a mensagem para Gustavo, dizendo que era a diretora da escola. O técnico então foi até o colégio e se passou por tio da menina, tentando justificar o porquê de ela não estar em aula.

A mãe que tinha nos planos de ir à delegacia nesta quinta-feira teve a notícia no dia anterior, pela mãe de outra menina vítima de abusos, de toda história que se passava.

As horas seguintes foram de angústia para a auxiliar de administração. Ela e esta outra mãe foram até o batalhão da Polícia Militar do bairro Coophasul, que acompanharam as mulheres até a casa de Gustavo.

“Quando ele tentou consumar o estupro, a mulher dele estava junto. Se não fizesse o que ela mandava, ela falava que ia bater na minha filha”, diz aos prantos. (Foto: João Garrifó)
“Quando ele tentou consumar o estupro, a mulher dele estava junto. Se não fizesse o que ela mandava, ela falava que ia bater na minha filha”, diz aos prantos. (Foto: João Garrifó)

“Cheguei lá ele não estava. Eu perguntei na casa ao lado, que é do irmão dele e me disseram que ele estava no Hospital, porque a mulher tinha ganho bebê”.

“Eu queria uma explicação. Quando eu liguei para ele, o Gustavo disse que estava no posto de combustíveis na Tamandaré. A Polícia foi até lá, ele até relutou, queria ir no carro dele. Aí os policiais disseram, não você já enrolou demais, vai para a delegacia agora”, conta.

A mãe completa que Gustavo ainda tentou impedir que ela registrasse a queixa. “Ele achou que fosse conseguir, chegou a pedir para parar com aquilo, que não era verdade, que jamais faria um negócio desses”.

A história tem detalhes ainda mais doentios. Segundo o delegado Divino Mendonça, que registrou o caso, a esposa que estava grávida, presenciava tudo. Ela passava a mão nas meninas e pedia que elas tocassem no órgão genital do marido.

“É muito difícil, você espera de qualquer pessoa, menos de quem você estendeu a mão”, acrescenta a mãe.

A mulher que parece carregar nas costas o peso do mundo relata que a esposa de Gustavo foi vítima de violência doméstica pelo ex-marido e encontrou na família da auxiliar de administração, o refúgio durante oito meses.

Os crimes de abuso contra quatro meninas aconteciam na própria casa do acusado, no bairro Vila Neuza. (Foto: João Garrigó)Os crimes de abuso contra quatro meninas aconteciam na própria casa do acusado, no bairro Vila Neuza. (Foto: João Garrigó)

“Ela era vizinha aqui de frente. Se separou e não tinha onde ficar, ela era espancada pelo ex-marido e como nós ajudamos a denunciar, a delegada pediu que eu acolhesse por uma semana”.

Os sete dias se tornaram oito meses que a mãe descreve como de tempos difíceis. Segundo a mãe da menina, a vizinha tinha gênio forte e se ofendia por qualquer coisa que falassem. Antes de completar um ano, a família pediu que ela se mudasse.

O contato foi retomado há três anos, quando ela apresentou Gustavo como o atual marido. “Aí ele passou a vir aqui sempre, mas só vinha ele”.

O fato do técnico de informática só abordar meninas, passou a parecer muito estranho para a mãe. “Ele falava de levar no shopping, para tomar sorvete e começou a vir nas horas em que eu não estava em casa. Levava ela e depois trazia rapidinho”.

Há dois anos a auxiliar de administração chegou a proibir que a filha visse Gustavo. A regra não colocou limites para ela, que vivia sob ameaças.

De acordo com a mãe, ele falava para ela que ia destruir a família dela, matar todo mundo. As ameaças não vinham só de Gustavo, a esposa também fazia intimidações. “Quando ele tentou consumar o estupro ela estava junto. Se não fizesse o que ela mandava, ela falava que ia bater na minha filha”.

A menina que não quis contar detalhes nem a trama toda que viveu na frente da mãe está desde ontem de cama. “Ela não come, não dorme, não conversa”, diz.

Depois de todo episódio vir ao conhecimento da família, a mãe relata que agora percebe as mudanças no comportamento da filha. “O rendimento dela tinha caído um pouco, mas ela continuava a brincar de boneca”.

A inocência da filha que trocou as brincadeiras de boneca pelo trauma sexual dói para a mãe. “Eu perguntava se ele fazia ou tentava alguma coisa, mas ela sempre me respondia que ele nunca tentou nada”.

“Quem está de fora vai julgar, mas eu sei que eu conversava com ela, a avó, todo mundo falava”, desabafa chorando.

A filha da auxiliar de administração conhecia duas das outras vítimas por serem vizinhas de bairro e morarem bem próximas. A quarta menina, destas duas, é vizinha de Gustavo.

“Ele levava elas para tomar sorvete e perguntava se elas ainda eram inocentes e se aceitariam que ele ensinasse elas a fazerem”, conta a mãe aos prantos.

Caso - O técnico de informática Gustavo Frederico de Miranda, 34 anos, foi apresentado nesta manhã, depois de ser preso acusado de abusar sexualmente de quatro meninas, três de 12 anos e uma de 10 anos, em Campo Grande.

“Ele perguntava se elas ainda eram inocentes e se aceitariam que ele ensinasse elas a fazerem”, conta mãe. (Foto: Paula Vitorino)“Ele perguntava se elas ainda eram inocentes e se aceitariam que ele ensinasse elas a fazerem”, conta mãe. (Foto: Paula Vitorino)

De acordo com o delegado, a menina de 10 anos diz que era colocada em frente ao computador e tinha de repetir dizeres obscenos. Ela afirma que havia uma câmera no local, mas não soube dizer se o material era gravado ou exibido.

O delegado diz que nenhuma câmera foi encontrada na casa do acusado, mas existe a suspeita de que ele utilizava webcam do computador. No local, foram apreendidos 2 computadores, vários pen drives, CDs e DVDs. O conteúdo completo ainda será analisado pela perícia, mas em princípio não foi encontrado nenhum material pornográfico.

Os crimes de abuso aconteciam na própria casa do acusado, no bairro Vila Neuza. A menina de 12 anos, que fez sexo, diz que era abusada desde janeiro deste ano. Já a garota de 10 anos afirma que era molestada desde os 6 anos.

Ele foi indiciado por estupro de vulnerável – menor de 14 anos – as quatro meninas. O caso será investigado pela DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), onde ele permanecerá preso até decisão judicial.

As meninas foram submetidas a corpo de delito, mas ainda devem passar por psicólogos e outros exames para averiguar a presença de esperma. A perícia constatou que a menina de 12 anos, que manteve relação sexual, tem o hímen complacente, o que segundo o delegado, possibilita que a garota tenha praticado sexo anteriormente, mas já tenha se reconstituído.



Uma pessoa que é capaz de realizar um ato desses com uma criança, não deveria ter o direito nem de se defender perante os judiciários.
 
Pedro Augusto em 09/09/2011 12:47:22
Isso é tão absurdo que parece até história de novela, que nunca mostra coisas descentes.
 
Oswaldo Benites em 09/09/2011 10:58:42
Para os ignorantes vão ler um pouquinho para saber oque é ímem complacente que se recontitui para depois falarem abobrinhas e para os desavisados as vezes as crianças não contão tudo aos pais por acharem que elas é que são culpadas do que aconteceu reflitam voçês ja foram crianças eu mesma tinha um tio nojento que chegava em casa e pedia para sentar no colo eu sabia que tinha algo errado mas não tinha discernimeno para intender ou explicar para minha mãe me sentia mal e sempre me escondia quando ele chegava em casa só na outra geração com as filhas de uma prima ele foi pego eu sei que vocês vão dizer HO!!!! hoje está tudo as claras mas criança é criança cabe a nós pais ficarmos atentos porque pedófilos sempre existiram e nunca vai deixar de existir.
 
Cláudia Gomes em 09/09/2011 10:47:48
O que está faltando para estas pessoas que fazem estes comentários é discernimento, vcs estão associando a mãe que trabalha o dia inteiro ao acusado, um vagabundo, estuprador...antes de fazerem estes comentários maldosos, se coloquem no lugar desta mãe, que está neste momento se sentindo tão mal... e em especial ao sr. Samuel Gomes, leia toda a historia antes de fazer comentários sem fundamentos, a pessoa que aparece na foto com as unhas pintadas não é a criança, e sim a mãe, agradeço se mais pessoas em vez de malhar a mãe, abrissem a boca ou utiliza-se este espaço com prudencia, para nada mais que uma palavra amiga, um consolo, que é só do que esta família precisa agora... fiquem com Deus, que Deus abençoe e tire a dor desta família tão logo.
 
carlos junior em 09/09/2011 09:24:56
Concerteza neste caso vai precisar de uma investigação mais detalhada, tá meio confuso, não tá bem contada, menina voltando a ficar virgem, o que os médicos legistas falam disso?qual era o vinculo do acusado com as vítimas?essa eposa dele, que isso...ele já tem passagem pela policia?seja quem for que estiver faltando com a verdade vai se dar mal...sabemos que neste caso a policia não deixa mole, vão botar pra quebrar até achar a verdade. Que Deus abonçoe todas essas familias envolvidas, e principalmente essas crianças!
 
fabio gomes em 09/09/2011 09:15:40
Devemos cuidar de nossos filhos, dialogo é um instrumento poderoso no combate a estas barbaridades. Estão se explorando muito a senssualidades de nossas crianças, por exemplo a TV. Cada coisa que se ensinam nos programas e novelas e filmes. Pais fiquem atentos, não permita que o MUNDO cuide de teus filhos! Eles são presentes de Deus para nossas vidas!
 
JULIANO MACEDO em 09/09/2011 08:46:55
[...“Aí ele passou a vir aqui sempre, mas só vinha ele”.

O fato do técnico de informática só abordar meninas, passou a parecer muito estranho para a mãe. “Ele falava de levar no shopping, para tomar sorvete e começou a vir nas horas em que eu não estava em casa. Levava ela e depois trazia rapidinho”.

Há dois anos a auxiliar de administração chegou a proibir que a filha visse Gustavo...]

ESSA MÃE JA HAVIA DESCONFIADO DO CARA E NÃO FEZ NADAA??!! PAGOU PRA VER! ISSO MUITAS VEZES ACONTECESSE POR FALTA DE CUIDADO DOS PAIS.
PAIS! MAIS ATENÇÃO E CUIDADO COM SEUS FILHOS!
 
Antonela Morales em 09/09/2011 08:37:00
NADA JUSTIFICA O ABUSO...MAS EU TAMBEM SOU MAE E MESMO TRABALHANDO E NAO SABENDO O QUE MEUS FILHOS FAZEM FORA DE CASA...SEMPRE NOTAMOS QUE ALGO TA ERRADO...ONDE ESTAVA ESTA FAMILIA, QUE A MENINA ANDAVA NAS CASAS, DE CARONA PARA ESCOLA....INGENUA ESTA FAMILIA....
 
CELIA FELIPE em 09/09/2011 08:28:31
SÃO NESTES MOMENTOS QUE ME PERGUNTO: PORQUE NAO TEMOS PENA DE MORTE NO BRASIL
ALGUEM ACHA QUE ESSE CASAL TEM ALGUMA CHANCE DE RECUPERAR E FREQUENTAR A SOCIEDADE NORMAL?
A CADEIA É PUCO PRA ELES. A JUSTIÇA DO NOSSO PAIS TEM QUE MUDAR URGENTE. PIOR QUE ISSO E VER ADVGADOS, DEFENDEREM BANDIDOS, COVARDES ASSIM.
EU QUE SOU PAI, ME DA UM FRIO AO LER UMA REPORTAGEM ASSIM. ME SINTO MAL.
POLITICOS PAREM DE VER SUAS CONTAS-CORRENTES E FAÇAM ALGO PELO NOSSO PAÍS URGENTE, ANTES QUE SUA FAMILIA SEJA OS PROXIMOS A SEREM VITIMAS DE BANDIDOS DESTE PORTE.
 
LUCIANO MARQUES em 09/09/2011 07:07:25
Por conta destas pessoas doentes, várias famílias foram desestabilizadas.
A cicatriz que fica dificilmente será curada.
Temos que orar para que estas famílias consigam sem fortes e consigam de alguma maneira minimizar o desastre que está ocorrendo em suas vidas.
Quanto ao casal criminoso, espero sinceramente que a Justiça seja eficiente, que seria um caso raro neste país que absorve e acolhe criminosos.
 
Antonio Terra em 09/09/2011 03:07:48
Istoria esquisita, nada de pornografia na casa do acusado, menina que teve relaçao sexual e voltou a ser vigem, está storia esta mal contada! é melhor investigar bem a fundo a vida de todos ai .....
 
Cid Carlos Vieira em 08/09/2011 10:52:10
É prende e vcs ainda acham que ele no presídio vai virar mulherzinha né, kkk o estado protege o maniaco ele não fica no convívio com os outros presos, e já já estarásolto com a proteção das nossas leis, daqui uns dias esse verme vai estar nas ruas molestando mais meninas... dá vergonha a nossa constituição, nossa presidenta que assina leis e libeta terroristas e se tornou uma madrinha para criminosos " de baixo poder criminal" ( pequenos roubos ou toda pena que vá a 4 anos)
 
sandra lima em 08/09/2011 10:07:02
Tres dias atrás a mãe de uma menina de doze anos deixou-a ir tomar tereré na casa do vizinho.Numa brinacdeira de mau gosto um rapaz apontou uma arma de fogo na cabeça da menina e matou a pobre criança.Estamos vendo o rapaz dessa materia ser acusado de estupro cujas vitimas são suas vizinhas.Vemos na imagem uma menina- criança com unhas pintadas e dois celulares na mão, que demonstra claramente a mudança de comportamento social e que o crime já vinha acontecendo há um ano,não seria possivel q a mãe ou alguem da familia não soubesse do estupro já q, constantemente o acusado saia com as meninas...Nota -se que nos dois casos podemos vislumbrar,com certeza os culpados pela negligencia que causou a s tragedias.
 
samuel gomes-capital em 08/09/2011 09:08:44
Isso é uma coisa difícil de se compreender pois se o cara buscava e trazia de volta em casa e a menina não falava nada pra mãe que medo besta é esse tem mais é que contar e não ficar quieta que ameaças nada o cara já abusava dela a o que 8 ou 9 meses ela demorou isso tudo pra mãe descobrir um descuido da aula na escola sei não esse papo de que ia matar a família acho que é desculpa aonde que um cara faz um barbaridade dessa com uma menina e a mãe ou outra pessoa não vai descobrir muito estranho todo esse relato dessa mãe!!!!
 
waleska neves em 08/09/2011 08:06:39
É o fim do mundo, onde vamos parar??

Este canalha tem que ser castrado na lapiana...
 
João Márcio Escobar em 08/09/2011 07:58:32
Muita força para essa família agora. Mãe, agora a senhora vai ter que lutar com todas as suas forças para ajudar a sua pequena filha a superar esse trauma. Siga com fé e confiança em Deus de q a justiça tem q ser feita, mas q sua filha deve reaprender a superar tudo. Falar é fácil, por isso mesmo desejo q Deus esteja encaminhando todos os seus passos para passar por tudo isso. Quanto ao técnico, embora não tenha sido julgado, os indícios contra ele são fortíssimos. Mande recado para o pessoal da cadeia q eles sabem o q fazer com elementos como esse! :S
 
Ana Carolina de Souza em 08/09/2011 07:43:23
É DE SE LASSTIMAR COMO ESTES CANALHAS ANDAM SOLTO, E ESTA MULHER DELE AINDA TEVE CORAGEM DE AJUDAR E DE TER UM FILHO DELE O QUE SERA COM UMA CRIANÇA QUE TEM ESTES PAIS, POLICIA DIZEM QUE TEM UMA LEI LÁ DENTRO AGORA QUE ESTRUPADOR NAO SOFRE MAIS PENAS POR PARTE DOS PRESOS, MAS POR FAVOR ESTE NÃO MERECE SER SÓ ESTRUPADO PELOS PRESOS MAS SIM A CADEIRA ELETRICA OH BRASIL POR FAVOR CRIE LEIS MAIS SEVERAS E NAO OS ABRANDE COMO ESTÃO FAZENDO OH BRASIL DÁ TEMPO DE RECUPERAR AINDA MUITAS FAMILIAS BASTA CRIAR LEIS
 
CARMEM SUELI em 08/09/2011 07:32:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions