A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

24/09/2013 08:48

CNJ afasta desembargador e juiz suspeitos de favorecer frigorífico

Aline dos Santos
Placar no CNJ foi de 10 votos a quatro. (Foto: Luiz Silveira/Agência CNJ)Placar no CNJ foi de 10 votos a quatro. (Foto: Luiz Silveira/Agência CNJ)

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) afastou o desembargador Nery da Costa Júnior e o juiz federal Gilberto Rodrigues Jordan, ambos do TRF 3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), por suspeita de favorecimento a frigorífico em Mato Grosso do Sul.

O conselho também decidiu abrir procedimento administrativo contra os magistrados. Eles foram acusados pelo MPF (Ministério Público Federal) de desvio funcional e favorecimento a partes específicas em um processo que tramitou na 1ª Vara Federal de Ponta Porã.

Em janeiro de 2011, foi realizada uma força-tarefa na Vara para julgar processos envolvendo acusados presos. A iniciativa foi determinada pelo desembargador, que atuava como corregedor substituto do TRF3.

No entanto, durante a força-tarefa, o juiz Gilberto Rodrigues Jordan julgou mandado de segurança apresentado pelo frigorífico Torlim, que pedia a liberação de bens retidos para pagamento de dívidas tributárias em favor da União. A decisão proferida resultou na liberação dos bens do frigorífico.

O processo contra os magistrados foi aberto no CNJ em julho de 2012. Ontem, o julgamento foi retomado. O presidente do conselho, Joaquim Barbosa, citou a proximidade entre o desembargador e advogados que atuavam na defesa de processos penais envolvendo o frigorífico.

Segundo a denúncia, Sandro Pissini, dono do escritório de advocacia que defende o frigorífico, atuou como assessor do desembargador no TRF entre 1999 e 2001 e os dois são sócios em uma fazenda. A decisão pela instauração do processo e afastamento dos magistrados foi tomada por dez votos a quatro.

Investigado por favorecer frigorífico, desembargador de MS reclama de complô
Investigado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) por favorecer um frigorífico, o desembargador Nery da Costa Júnior, do TRF3 (Tribunal Regional Fe...
Desembargador de MS é investigado pelo CNJ por favorecer frigorífico
O desembargador Nery da Costa Júnior, do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), e o juiz Gilberto Rodrigues Jordan são suspeitos de usar os c...
Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...


Como já dizia a min. Angela Calmon; esses são os bandidos de toga. E ainda se acham os espertos........os idiotas somos nós, povo honesto que tenta construir um país melhor.
 
francisco ricardo tolazzi em 24/09/2013 15:43:10
Não se preocupem os paladinos da justiça, a punição aos dignitários magistrados será a aposentadoria compulsória sem redução dos seus salário pro resto de suas vidas. o judiciário tem que rever essas punições são muito severas.
 
jesus ribeiro em 24/09/2013 15:17:42
Mais 02 Meretrícimos Magistrados que serão contemplados com belíssimas polpudas aposentadorias compulsórias, isto é mais uma prova de que neste País o crime compensa.
 
Luis Acordado em 24/09/2013 14:46:46
Deveria investigar também, os processos de alguns amigos dele da época da advocacia que, hoje em dia, deve ter processos no Tribunal sob o seu comando. Amigos esses que só "Jesus" sabe.
 
Mario Andrade em 24/09/2013 14:08:09
Esse Sr. de nome Sandro Pissini possui fazendas em Rochedo, agora ta claro de onde vem o dinheiro p/ possuir estes imoveis, punição neles, parabens Sr. Presidente do STF.
 
Luiz Aquino Miragaia em 24/09/2013 13:45:26
Que justiça é esta ?Que quando se faz alguma coisa errada ,é punido com aposentadoria gooooorda.
 
joão carlos da silva em 24/09/2013 12:34:43
Que bom seria se essa onda pegasse em todo o TJMS, com investigação de todos suspeitos de enriquecimento ou envolvimento em venda de sentença, pelo menos assim aliviaria a sensação de imponência, de incapacidade de submissão que essas pessoas nos impõem, seria uma varredura total, mas isso é sonhar demais, teria que ter pelo menos uns cinco Joaquim Barbosa no país, para dar conta de tudo isso, haja Joaquim............
 
jorge luis da silva em 24/09/2013 12:17:28
Isso pelo menos alivia um pouco essa sensação de hipocrisia na justiça, Parabéns à Promotoria de Justiça Federal e ao CNJ por moralizar a nossa justiça
 
alicio lima em 24/09/2013 11:55:52
Parece que finalmente o fazendeiro e desembargador nas horas vagas, Nery da Costa Júnior, vai ter que explicar algumas coisas. Seria interessante tentarem descobrir a origem do patrimônio do sujeito, já que de salário, por melhor que este seja, ninguém enriquece. E parabéns ao MPF, pela coragem em denunciar um integrante do Judiciário, sem dúvidas o mais corrupto dos três Poderes da República.
 
Adriano Roberto dos Santos em 24/09/2013 11:49:51
Não é à toa que muita gente quer o Joaquim Barbosa pra presidente do país.
 
Ricardo Grião em 24/09/2013 11:40:26
Que maravilha observar o CNJ atuando em prol de uma justiça mais imparcial!
 
Marcelo Mendes em 24/09/2013 10:18:00
Caso sejam responsabilizados, serão punidos exemplarmente com aposentadoria compulsória e salários integrais. Cumpra-se.
 
João Cunha em 24/09/2013 09:41:15
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions