A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

20/08/2010 17:41

Defesa de Zeolla recorre e indenização fica suspensa

Redação

O advogado do procurador de justiça aposentado Carlos Alberto Zeolla, acusado de matar o sobrinho Cláudio Alexander Joaquim Zeolla, protocolou ontem recurso de apelação contra a sentença que determinou o pagamento de indenização de R$ 76.500 (150 salários mínimos) por danos materiais e morais a Natália Ferreira dos Santos, que foi à justiça afirmando ser esposa da vítima.

O juiz da 9ª Vara Cível de Campo Grande, Maurício Petrauski, também determinou o pagamento de pensão no valor de dois terços do rendimento da vítima, um salário mínimo, até que ela completasse 70 anos. Cláudio morreu aos 23 anos, portanto a pensão valeria por 47 anos.

Mas com o recurso apresentado, o cumprimento da sentença ficará suspenso até a análise da contestação.

A petição já foi recebida pelo magistrado, que abriu prazo à defesa da autora da ação para se manifestar. Depois disso, o caso vai para uma das turmas cíveis do TJ (Tribunal de Justiça)

Argumentos - O defensor de Zeola, José Belga Trad, informou que no recurso, apresentou uma série de contenstações à sentença do juiz. Ele afirma que o caso foi sentenciado sem que fosse realizada uma só audiência.

Diz, ainda, que não foram produzidas provas solicitadas pela defesa de Zeolla.

O advogado contesta, também, o relacionamento de Natália e Cláudio, afirmando que durou apenas 7 meses e que já havia terminado. Logo depois da morte de Cláudio, citou o advogado, uma outra moça se apresentou como namorada dele, inclusive em entrevistas.

Essa contestação é citada pelo juiz em sua sentença, e ele relaciona documentos que considera comprobatórios da convivência entre Cláudio e Natália

Outro argumento do defensor de Zeola para questionar a sentença é, segundo ele, o fato de o Ministério Público não ter sido consultado, mesmo com o caso envolvendo uma pessoa interditada judicialmente, como ocorre com Zeola. "O Ministério Público deveria ter sido chamado a se manifestar", afirma .

A petição do advogado já foi recebida pelo magistrado, que abriu prazo à defesa da autora da ação para se manifestar. Depois disso, o caso vai para uma das turmas cíveis do TJ (Tribunal de Justiça).

Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions