A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 22 de Setembro de 2018

29/06/2018 14:11

Delegados novatos vão estrear encarando crimes na fronteira de MS

Com pouca idade, eles deixaram os estados de origem para vir combater a criminalidade das cidades fronteiriças em Mato Grosso do Sul

Izabela Sanchez e Mirian Machado
Larissa Franco Serpa, 27, deixa a Capital para ir para Amambai, a 360 km de Campo Grande (Mirian Machado)Larissa Franco Serpa, 27, deixa a Capital para ir para Amambai, a 360 km de Campo Grande (Mirian Machado)

Eles e elas vêm de fora de Mato Grosso do Sul, de diversos Estados e agora têm um desafio pela frente: as cidades na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, conhecidas pela criminalidade. Tráfico de drogas, execuções e atuação de facções são parte da rotina que os delegados recém-formados na Acadepol (Academia de Polícia Civil) vão enfrentar a partir de agora. Nesta sexta-feira (29), a Academia celebrou a formação dos 72 novos delegados de Mato Grosso do Sul.

Natural do interior de São Paulo, de Birigui, Juliana Cortez Toledo Penteado, 37, vai para Ponta Porã, cidade que faz divisa com Pedro Juan Caballero, no Paraguai. Ele explicou não conhecer a cidade, “mas tem ouvido” detalhes sobre o município.

“Não conheço a cidade, mas tenho ouvido como é. Por ser uma cidade de fronteira, lá deve ter muito trabalho, mas isso também é um motivo para mais condições de aprendizado. Estava entre Ponta Porã e Sete Quedas, mas Ponta Porã apresenta mais recursos. Tem um Tabu envolvendo a cidade, mas me senti desafiado a enfrentar a cidade”, comentou.

Com apenas 24 anos, Gabriel Desterro, veio do Rio de Janeiro para assumir a 2ª Delegacia de Polícia de Dourados. A cidade é próxima da fronteira, é conhecida pelos conflitos nas reservas indígenas, desafios que agora, ele deve encarar.

“Escolhi porque é uma das cidades mais famosas de Mato Grosso do Sul para quem é de fora. Por ser do Rio de Janeiro a adaptação vai ser melhor porque é uma cidade grande. Vai ser um grande desafio”, relatou.

Gabriel Desterro, veio do Rio de Janeiro para assumir a 2ª Delegacia de Polícia de Dourados (Mirian Machado)Gabriel Desterro, veio do Rio de Janeiro para assumir a 2ª Delegacia de Polícia de Dourados (Mirian Machado)

Ana Luiza Noriler é de Dourados, mas tem na “causa feminina” uma missão. Ela assume a DAM (Delegacia de Atendimento à Mulher) em Ponta Porã. “Escolhi porque me identifico com a causa feminina e por ser na fronteira perto de Dourados. No começo fiquei um pouco preocupada por ser fronteira, mas a polícia civil lá está muito bem equipada. Pretendo priorizar o combate a violência doméstica”, prometeu.

Analu Ferraz tem 27 anos e milhares de quilômetros que deixa para trás. Ela veio da Bahia e vai para Ponta Porã. A delegada afirma que ouviu falar sobre a criminalidade na cidade, mas não se intimida.

“Escutei falar que a criminalidade lá é alta. Mas crime tem em todo lugar então não estou muito preocupada, mesmo porque vão cinco comigo para Ponta Porã, como o trabalho vai ser grande dá para aprender muito”.

“No começo fiquei receosa”, contou ela, que vai com outros 4 delegados para a cidade. Analu tem uma amiga na cidade. “Uma vai dar apoio para outra e confiança. Depois meu esposo vai vir da Bahia e vou me sentir melhor. A estrutura da cidade é muito boa”, afirmou.

Larissa Franco Serpa, 27, deixa a Capital para ir para Amambai, a 360 km de Campo Grande. Ela afirma não conhecer a cidade, mas conhece a fama sobre o tráfico de drogas. “Não conheço a cidade, mas sei que tem muito tráfico de drogas, também senti um receio, mas acredito no meu trabalho e vou ter o apoio dos policiais que já estão lá. Por ser fronteira é um desafio a mais”.

De Bom Jardim, no Rio de Janeiro, e com, 25 anos, Marcos Werneck Pereira, vai para Coronel Sapucaia.

“Escutei coisas boas também, que o pessoal é bem acolhedor e muito carente por não ter há algum tempo um delegado na cidade”, contou ele, que vai ser titular na cidade. “Estou com a expectativa pelo povo acolhedor e pretendo aprender bastante. Não conhece nada na cidade”, contou.

Ana Luiza Noriler é de Dourados e assume a DAM em Ponta Porã (Mirian Machado)Ana Luiza Noriler é de Dourados e assume a DAM em Ponta Porã (Mirian Machado)

Nomeações - Em Sidrolândia, Dourados, Ivinhema, Amambai, Água Clara, Três Lagoas e Rio Brilhante, Jardim serão dois delegados em cada cidade, enquanto Corumbá recebe quatro.

Ribas do Pardo, Bandeirantes, Amambai, Aquidauana, Anastácio, Bodoquena, Dois Irmãos do Buriti, Miranda, Alcinópolis, Coxim, Pedro Gomes, Rio Negro, Rio Verde, Sonora, Caarapó, Douradina, Japorã, Juti, Laguna Carapã, Maracaju, Nova Alvorado do Sul, recebem um delegado cada cidade.

Além dos municípios, também recebem um, em cada, os municípios de Glória de Dourados, Deodápolis, Vicentina, Bela Vista, Bonito, Caracol, Nioaque, Porto Murtinho, Eldorado, Iguatemi, Mundo Novo, Anaurilândia, Bataguassu, Batayporã, Santa Rita do Pardo, Taquarassu, Paranaíba, Aparecida do Taboado, Chapadão do Sul, Paraíso das Águas.

Em Antônio João, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas, Tacuru, também um delegado, cada. Ponta Porã tem cinco vagas previstas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions