A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

16/07/2013 08:53

Ele teve meningite, quase morreu, mas conseguiu a atenção de um médico

Elverson Cardozo
Depois do susto,  Cesar ainda está em tratamento. (Foto: Marcos Ermínio)Depois do susto, Cesar ainda está em tratamento. (Foto: Marcos Ermínio)

Cesar Ferreira da Silva, 34 anos, hoje consegue contar essa história, mas há menos de um mês, quando foi parar no hospital, com dores e calafrios, nem ele, nem a família, muito menos os médicos, enxergavam essa possibilidade. No auge do sofrimento, alguém já havia dito à esposa do empresário: prepara a família, porque, se viver, é sorte. Foi sorte mesmo, mas o diagnóstico correto, ainda em tempo, ajudou. Cesar sobreviveu, está bem, ainda em tratamento, recebendo medicação para evitar a reincidência da meningite que ele diz ser bacteriana.

A morte de um músico por conta da mesma doença, neste final de semana, motivou Juliana Villalta, 28 anos, esposa dele, a chamar a equipe de reportagem do Campo Grande News para relatar o que viveu.

O marido podia ter morrido e ela, com a experiência traumática, quer ajudar outras pessoas. Há exatos 26 dias, Cesar Ferreira saiu, em companhia dela, para jantar. Na volta para casa, depois das 21h, começou a passar mal. A esposa o levou a um hospital particular, pagou R$ 370,00 pela consulta e ouviu do médico: “é virose”.

O paciente, a essa altura, não tão bem, mas mais tranquilo com a notícia, teria recebido medicação intravenosa. Segundo ele, soro e dipirona. Mais tarde, às 4h da madrugada, já estava de alta.

O dia seguinte poderia ser melhor, mas não foi. “Eu levantava e deitava. Comecei a ter alucinações”, conta. Cesar voltou ao hospital, em outra unidade, com o coração, relata, a um ritmo de 40 batidas por minuto, enquanto o normal é de 60 a 100.

Às 16h daquele sábado, a equipe médica chamou Juliana para uma conversa franca, que ela não quis acreditar: o quadro do esposo, pelo visto, era irreversível. Era bom a família se preparar. Felizmente, uma luz surgiu no fim do túnel. Alguém da equipe resolveu averigar melhor o paciente, que foi submetido a uma punção, na coluna, segundo relatos.

O diagnóstico não demorou a sair. O paciente estava com meningite. Foi medicado e, às 21h daquele mesmo dia, estava melhor, consciente. A alta veio cinco dias depois.

A história, pelo menos desta vez, e neste caso, parece ter tido um final feliz, mas para que o enredo fosse esse, a família do empresário, proprietário de uma lava-jato em Campo Grande, teve de ajudar nas despesas que, no final das contas, ficou em pelo menos R$ 11 mil.

Esposa acha que, se o atendimento fosse pelo SUS, paciente não teria chance. (Foto: Marcos Ermínio)Esposa acha que, se o atendimento fosse pelo SUS, paciente não teria chance. (Foto: Marcos Ermínio)

O gasto é inferior ao preço da vida que, aliás, não está à venda em nenhum lugar do mundo, mas a experiência gerou revolta. “Fui ao hospital passando mal e o médico plantonista me liberou dizendo que era virose, mas no dia seguinte fiquei inconsciente. [...] Eu tenho uma filha de 7 anos para criar e uma esposa”, lamenta.

Juliana compartilha do discurso, concorda, e acrescenta, sem medo de errar: “Eu avalio que isso foi erro médico”. Cesar tem, na avaliação dele, motivos suficientes para acreditar nisso.

“Para mim, o médico examina, mas quando não sabe, diz que é virose. A medicina hoje trata a gente dessa forma”, disse, revoltado. Para o casal, a situação, expõe o despreparo, o casos na saúde, até mesmo para quem tem a possibilidade de bancar um tratamento na rede particular.

Se fosse pelo SUS (Sistema Único de Saúde), diz Juliana, é bem provável que o marido tivesse morto, mas há exceções, ela ressalta, acrescentando que, em todo caso, a diferença entre o atendimento bom ou ruim, na rede pública ou privada, está no profissional que honra o que faz e valoriza o juramento que fez quando, formado, depois de anos de estudos, decidiu salvar vidas.



bom,eu sou a prova de que não devemos desmereçer o sus pois meu filho foi diágnosticado com menigite bácteriana teve pronto atendimento roda atenção e cuidado que a doença requer e graças a deus esta bem pelo aumenos quando precisei tinha uma equipe abençoada lá no hospital.
 
valquiria da silva rocha em 13/09/2013 00:08:19
Bom dia!
Li a reportagem e decidi falar, meu marido a 12 anos teve meningite e por erro medico que disse que ele tava com síndrome do panico e não cuidou dele direito, hoje ele esta cego, surdo e com lesão cerebral.
E só esta vivo por que ele foi tudo particular, então o descaso não é só nos sus mas sim na maioria da classe isso é um descaso com a população.
 
cristina silva em 19/07/2013 08:49:29
Infelizmente a saúde pública está um caos. Outro dia estive no posto de saúde do Bairro Tiradentes e recebemos um péssimo atendimento de uma certa doutora que estava de plantão. Acho assim que nos dias de hoje os médico e demais profissionais da saúde não estão nem ai para as pessoas que procuram uma unidade para receber tratamento. Além de enfrentarmos atendentes com aquela cara de "bunda" pra gente, ainda encontramos médicos que nem levantam os olhos para o doente que esta ali na sua frente. Vão logo dizendo que é virose e passam dipirona. A vida humana já não custa mais nada, se algo der errado, é só mais um que se vai..... infelizmente é assim que anda a coisa.
 
Vania ledesma de brites em 16/07/2013 19:55:34
A maioria da população recebe o mesmo diagnóstico, virose, receita dipirona. A sorte do Cesar foi que por acaso um médico resolveu averiguar melhor, pois deveria ser rotina para qualquer médico averiguar melhor, não de vez em quando. Precisamos dos nomes deste médicos que matam, destroem os seres humanos, a sociedade precisa saber. Quando o médica erra o diagnóstico deveria pelo menos devolver do dinheiro da consulta.
 
Luiz Carlos em 16/07/2013 16:08:36
Continua...
Passou uma semana até que ele conseguisse achar um médico que o avaliasse de forma correta e quando ele subiu para cirurgia o próprio medico que o operou disse que não sabe como ele estava aguentando,e que se demorasse mais um pouco ele não sobreviveria por conta da gravidade da infecção e que a apêndice já havia estourado....O meu questionamento ,a minha revolta é por que nenhum desses abençoados que estavam na duvida ,não tiveram a humildade e a inteligencia de pedir um exame para confirmar ou descartar um possível diagnostico..Se acham autossuficientes e se colocam no lugar de Deus brincando com a vida das pessoas,sem se preocupar com a dor e a perda das famílias...Se eles ganhassem por exames pedidos seria diferente,aposto...não passaríamos meses na fila de espera.
 
ana paula ribas em 16/07/2013 15:41:41
O problema mesmo é que não se trata do medico que errou ou do que acertou...a minha opinião é a seguinte :O medico por mais que tenha estudado anos a fio e se formado, não está livre de se equivocar,para isso existem os exames !!! Pelo amor de Deus,quantas e quantas vezes cheguei ao posto de saúde e recebi o diagnostico de virose quando todo mundo sabia que não era,esses meses atrás tive de discutir com três médicos que avaliaram meu filho de forma errada, ele estava com apendicite e elas batendo o pé que era intoxicação alimentar....eu e meu marido já operamos da apêndice e sabíamos que os sintomas estavam acusando isso ,mas eles ainda eram irônicos perguntando qual de nós dois era medico para afirmar que era aquilo que achávamos...
 
ana paula ribas em 16/07/2013 15:33:10
Realmente existem medico e médicos, mas o que venho observando hoje tanto da rede publica com na privada e que os médicos não querem contato com seus pacientes, voce fica horas a espera de ser atendido, depois vem o enfermeiro para fazer a triagem, é esse que quando esta de boa vontade lhe faz perguntas sobre sua patologia, depois espera mais umas 2h e quando o medico te atende nem olha para sua cara, lê apenas o que o enfermeiro escreveu e nem se da o trabalho de fazer mais pergunta. Muitas vezes o paciente esta com dor quase não raciocina direito, e papel do medico e pesquisar o paciente e trabalhar por eliminatórias. Os médicos nem querem tocar em seus pacientes, muito menos olhar nos olhos dos mesmos. Sim isso provoca erro medico, sim e fácil falar que é virose, sem pedir mais exames.
 
Jucicleia Berta em 16/07/2013 15:02:49
Muito interessante a matéria, porém se fosse hospital público, iriam falar o nome do médico, da enfermeira, da recepcionista, da faxineira, do Hospital, desvalorizando desta forma o serviço público.
Quando é Particular, omite-se tudo.Tem que falar também o nome do particular, assim muda-se as posturas.

 
Andre Almeida em 16/07/2013 13:32:50
Interessante, seria saber o nome do medico que recebeu a consulta e sem exame nenhum diagnosticou uma virose!!!
 
Maria Rocha em 16/07/2013 13:09:04
Comecei lendo a reportagem achando que seria um assunto bonito, uma lição de vida, do tipo "meu marido quase morreu mas, graças um diagnostico correto de sua doença, se salvou".
Mas a reportagem prefere ir pelo caminho da crítica simples e populista.
A família que teve a vida de seu pai preservada prefere criticar o médico que errou o primeiro atendimento do que agradecer a dedicação e competência do segundo médico, que acertou o diagnóstico.
Não Sr. Cesar Ferreira da Silva, o senhor não está vivo por sorte não, o senhor está vivo porque alguém dedicado, competente e interessado descobriu sua doença e o curou, pessoa essa que o senhor, durante toda a reportagem, não citou, nenhuma vez, que tenha tido a humildade de agradecer.
Como é fácil ser pedra, difícil é ser vidraça!!!
 
Paulo Porto em 16/07/2013 13:07:10
Meu intuito com essa reportagem, foi de ajudar as pessoas que não sabem o que é Meningite, que é mascarada com a gripe. O medico do hospital particular errou sim com o diagnostico do meu esposo dizendo que somente era uma virose. Pois ele entrou no hospital com muita dor de cabeça, tremedeira sem febre, vomito em jato. Que não e normal para uma gripe e mesmo assim disse que seria apenas uma virose. Somos todos leigos com doenças e os médicos são preparados para nos ajudar particular ou não. Temos ótimos médicos mas também temos médicos que so estão para cumprir tabela. Tem tanta gente que precisa de atendimento e não tem.
 
Juliana Villalta em 16/07/2013 13:03:38
...por isso que sou a favor de vir médicos de fora PORQUE QUEM SABE ASSIM os daqui, sejam realmente médicos e não uns negligente COMO MUITOS estão sendo...porque ser médicos é SALVAR VIDAS e não esse descaso como anda tratando a população. Exemplos temos aos montes relatados aqui.
Isso que falo são para os MAUS médicos PORQUE ainda temos bons médicos, os que veste a camisa e que valoriza aquilo que aprendeu e jurou no ato de receber o seu diploma.
 
maria alves em 16/07/2013 12:07:27
Pessoal, os médicos não são donos da vida e da morte de ninguém. Hoje mesmo vi um caso de um paciente que faleceu por complicações de cirrose hepática. O paciente foi tabagista e alcoolista pesado e estava no UTI. A família quer processar o médico pela a morte do paciente. Seria isso justo? Culpar o médico?
Luana SOares: " SE A MÉDICA NÃO TIVESSE SIDO NEGLIGENTE MEU AVÔ NÃO TERIA FALECIDO.", seu avô não teria falecido se não fosse diabético, se não fosse fumante, se seguisse orientação dos cuidados do pé diabético. Provavelmente ele tinha alteração vascular e por isso não conseguir cicatrizar bem as feridas. AGORA culpar o médico é no mínimo INJUSTO, porque não foi uma simples ferida que matou seu avô e sim uma doença crônica que se instalou progressivamente e causou vários danos à ele.
 
Larissa Xavier em 16/07/2013 11:58:05
O que tenho observado é o descaso que as pessoas estão sendo tratadas nestas unidades de saúde, criticar não é fácil como alguém disse, mas o médico pelos anos que eles estudam , tem que se atualizar e saber cada sintoma, se tem dúvida não libera o paciente e sim faça exames. Estou quase acreditando que contratar médicos estrangeiros ou formados fora do país vai ser melhor, pq eles talvez se preocupem mais com os seres humanos. É mais que lógico que o paciente vai chegar na unidade de saúde e dizer que esta tendo um mal estar, pq ele não é médico, seria fácil ele dizer...Dr.acho que estou com meningite...estaria resolvido...
 
Fátima Abreu em 16/07/2013 11:45:44
Mas é complicado para quem é leigo em medicina compreender certas condutas. "O médico sempre diz que é virose!". É porque quase sempre realmente é. Lida-se com prevalência e incidência. Especialmente no inverno, viroses são muito frequentes. É possível saber qual é o vírus. Mas não é viável em tds os sentidos. Pode-se fazer um exame chamado PCR, que tem alto custo e que provavelmente mostrará que é uma variante de uma cepa de Rothavirus que está circulante neste período. Serviria apenas para dizer: Sr, é uma virose pelo vírus XXXX. O quadro é auto limitado e o tratamento apenas sintomático. Mas se no Sus falta até exame de fezes... Imagine um PCR.
Medicina é ciência e arte. Não é exata. Por isso diagnóstico deve ser médico sempre. Ainda assim pode falhar. Por isso méd precisa de estrutura.
 
Luiz Wagner em 16/07/2013 11:42:23
Infelizmente nossos médicos hoje, na grande maioria, são despreparados, e o pior de tudo: atendem mal o paciente, são prepotentes, e sua classe se blinda contra os erros que eles constantemente cometem. Está na hora de um basta, do governo tomar alguma atitude, e da própria classe acordar para a vida. A medicina é uma ciência divida, que deve ser praticada por homens que, acima de tudo, prezam pela saúde do próximo, com dedicação e atenção. E outra coisa, esse papo de que eles não vão para o interior porque "o governo não dá estrutura" é falta de bom senso. E o militar que também trabalha sem estrutura nesse local? e o advogado que vai pra esse local sem nada? e o engenheiro que lá está para construção do vilarejo, que também carece de meios? e as enfermeiras, as parteiras?
 
Diego Marques em 16/07/2013 11:16:57
Quase perdi minha filha com pneumonia, quando os sintomas começaram eu à levei ao posto 24hs, e o médico passou um xarope para tosse e ainda me deu um SENHOR SERMÃO, me disse que o atendimento 24hs era para quem estava quase morrendo, eu havia procurado atendimento nos posto onde é de atendimento ambulatorial, mas não tinha vaga nem para agendamentos futuros e em alguns postos o atendimento pediátrico estava sendo feito por enfermeiros. Graças à Deus eu tinha umas economias e a levei para atendimento particular e quando mostrei a médica a receita do atendimento anterior e lhe contei o sermão que levei, ela ficou abismada e passou as prescrições corretas para minha filha!!!!! Alguns médicos tem preguiça de se interessar realmente pela profissão que exercem e de serem mais atento com a vida.
 
sarah de castro ovando em 16/07/2013 11:11:03
É muito facil criticar a conduta de um médico quando somos leigos, ou seja NADA entendemos sobre o assunto!!!!!
Meningite é uma doença aguda , de instalação e progressão rápida, que muitas vezes, se não a maioria delas, se inicia sim COMO UMA VIROSE! É preciso acompanhamentos e retornos e tb é muito importante que o paciente e os familiares saibam dar instrumentos para o médico trabalhar melhor, como informaçoes reais e certas. Quantas vezes paciente não sabe dizer ao médico que medicamento toma (aquele do comprimido azul) como se o médico fosse um bulário ambulante.
Na reportagem nada se diz se o paciente tinha dor de cabeça, rigidez de nuca, febre, vômitos, etc, qualquer sintoma que desse pistas para o médico suspeitar de uma meningite, apenas diz que "teve um mal estar após o jantar".
 
patricia cunha em 16/07/2013 10:30:34
O mesmo aconteceu com meu marido ha 3 anos atras .Em um final de semana ele teve sintomas parecidos com uma virose ,mas a dor de cabeça e a febre eram muito forte ,eu ia leva-lo ao um hospital particular ,mas no meio do caminho resolvi leva-lo em outro mais perto de minha casa ,graças a Deus havia um neurologista de plantão que o avaliou rapidamente e constatou meningite ,meu marido entrou em coma na chegada do hospital ,ficou desacordado 3 dias .Agradeço a esse médico que era recém chegado em Campo Grande e acho que pelas mãos de Deus estava ali naquele momento ! Existem médicos e "médicos".A conta do hospital foi alta mas quanto vale uma vida ? Esses médicos que mal avaliam os seus pacientes deveriam voltar para a faculdade e estudar o princípio básico da medicina !
 
Rosemary Warde em 16/07/2013 10:24:30
E a classe médica brasileira ainda quer questionar a qualidade dos médicos que serão "importados", quem são eles pra bater nessa tecla?
 
Mathias Hanns em 16/07/2013 10:24:26
E pior que isso ocorre em qualquer lugar do país, a + ou - 30 dias meu avô estava com febre altíssima e com a pressão alta, ele morava em Cuiabá,durante a consulta a médica o parabenizou, pois segundo ela ele estava ótimo, foi questionada se não seria o caso de aplicar uma injeção, pois o mesmo estava com um ferimento na perna, mas a médica disse que não era preciso, resumindo, o ferimento generalizou e meu avô veio à óbito, agora resta me apenas recordações daquele grande homem, ele era baiano, muito alegre e conversador, ainda não caiu a minha ficha, é difícil aceitar quando uma pessoa que vc ama se vai sem estejamos esperando. SE A MÉDICA NÃO TIVESSE SIDO NEGLIGENTE MEU AVÔ NÃO TERIA FALECIDO.
 
luana soares em 16/07/2013 10:15:13
Há 6 anos perdi meu filho de 7 meses com meniginte meningocócica. Nunca consegui digerir tudo isso, pois tenho certeza absoluta que ele não foi salvo por demora no diagnóstico correto.

Ele tinha Unimed, deu entrada no hospital da criança as 19:00, mas quando a coisa apertou foi mandado para a UTI da santa casa por volta das 21:00, e daí foi questão de poucas horas até morrer por volta das 23:00.

A impressão que tive é que a santa casa e a unimed queriam esconder a doença do meu filho.
 
Gabriel Novaes em 16/07/2013 10:15:04
e ainda querem médicos do exterior... os daqui não fazem por descaso talvez, e os de la nem ao menos conhecem?
 
ligia castro em 16/07/2013 10:12:37
um dia desses passei mal, cheguei nas clinicas com calafrios dores ingnal intensa, fiquei na sala de espera por mais ou menos 40 min, ate passar pela triagem, assim mesmo pq dei uns berros, pra depois de 30 min entrar na sala do medico, e ele mal olha pra minha cara, e diz: sua pressão ta boa, essa dor é muscular, sem ao menos pedir um exame, ou tomar medicação, fui pra casa. Esses médicos de hj não tao nem ai pra nossa saúde.
 
ana maria em 16/07/2013 09:46:08
À exatos 10 anos meu filho, de um ano e oito meses contraiu meningite bacteriana. Mesmo tendo assistência médica particular, teve um diagnóstico tardio e ficou com sequelas de surdez e deficiência mental. O médico só diagnosticou a doença quando ele já estava com a nuca e articulações com rigidez e a infecção em níveis altíssimos. Felizmente ele sobreviveu e hoje, apesar da luta diária, agradeço a Deus pela sua vida. Peço aos médicos que fiquem atentos, sempre... uma vida não tem preço!
 
Elizabeth Aiza em 16/07/2013 09:46:02
Me Pergunto que Tipo de Médicos tem se formando hoje no brasil, hoje parece estar mais preocupados em ganhar mais e receber 250 ou 370 reais por uma simples consulta, sem ao menos ver nem procurar saber o que ta acontecendo. Outro dia levei minha mãe no medico pelo plano de saúde. foi o pior atendimento da Historia foi o tempo de sentar falar uma palavra e ele dar um Diagnostico na lata. é Virose gripe. No final das contas no mesmo dia minha mãe foi internada, graças a Deus esta bem mas não com a ajuda nem o atendimento daquele medico. medico tinha que ter uma prova disciplinar todos os anos, deveriam ser mais realista humanos, menos louco por dinheiro a qualquer custo, acho que não adianta investir em bons hospitais se temos profissionais ridículos. Salvo alguns outros
 
Higor Vasconcelos em 16/07/2013 09:42:57
Concordo com a avaliação dessa senhora. Virose serve para todos os males. Não sei se é despreparo ou preguiça dos doutores em fazer diagnóstico correto. Acho que a Dilma tem razão. Ou aprendem nas escolas ou no mato, levando cabeçadas.
 
sebastiao dos reis em 16/07/2013 09:34:32
Erro medico, tem que ser relatado!!!

Se ele morresse o medico iria cuidar dessa família?
 
Igor Terra em 16/07/2013 09:19:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions