A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 30 de Março de 2017

02/06/2011 11:25

Polícia Federal remove trabalhadores da Usina Santa Olinda, em Sidrolândia

Vanda Escalante

Operação conjunta com o MPT devolveu cerca de 220 trabalhadores indígenas a aldeias em Dourados e Coronel Sapucaia

Cumprindo decisão da Justiça do Trabalho de Amambai, o MPT (Ministério Público do Trabalho) e a Polícia Federal realizaram operação para remoção dos trabalhadores da Usina Santa Olinda e localizada no distrito de Quebra Coco.

A decisão data de abril e a operação foi efetivada no último dia 27 de maio, após verificação de que a empresa não estava acatando o que foi pactuado no acordo judicial para quitação de débitos salariais, fundiários e rescisórios.

Como a empresa, pertencente ao Grupo J.Pessoa, não realizou a comprovação da quitação desses pagamentos e contratou trabalhadores, foi autorizada a retirada dos empregados, de acordo com o que estava previsto no acordo.

Na operação, cerca de 220 trabalhadores indígenas das aldeias de Dourados e Coronel Sapucaia foram removidos e levados no mesmo dia ao local de origem. No total, aproximadamente 400 empregados interromperam as atividades na destilaria.

Apenas os empregados da manutenção retornaram ao trabalho na segunda-feira (30), a fim de evitar prejuízos pelo atraso do fim da manutenção e início da moagem. Cada um desses empregados da manutenção será compensado com pagamento de abono de R$ 150,00 pelo retorno ao trabalho antes do 5º dia útil.

Os trabalhadores do setor agrícola da usina permanecerão paralisados, sem descontos na remuneração, até o 5º dia útil do mês de junho, quando se verificará se o pagamento dos salários e os depósitos do FGTS foram efetuados.

A operação foi realizada pelos procuradores do Trabalho Cândice Gabriela Arosio e Paulo Douglas Almeida de Moraes, acompanhados de agentes da Polícia Federal.

Conforme esclarece a procuradora Cândice Arosio, em Mato Grosso do Sul há várias ações ajuizadas contra essa empresa, que tem como prática recorrente a inobservância da legislação trabalhista. “Na operação, o MPT fez dar cumprimento ao acordo assinado no ano passado, que prevê várias obrigações de fazer e não fazer, sob pena de multa e de remoção dos empregados da Usina”, pontua. A decisão judicial estende-se à unidade da empresa em Brasilândia.

Encerra hoje inscrição de curso de fuzileiros navais com 75 vagas no Estado
Termina hoje inscrição do processo seletivo de 1.300 candidatos para a formação de soldados fuzileiros navais. São 75 vagas em Mato Grosso do Sul, to...
Conselho Regional de Química abre concurso para cargos em nível médio e superior
O Conselho Regional de Química de Mato Grosso do Sul, abriu edital com três vagas e formação de cadastro de reserva, para profissionais de nível médi...
UEMS continua com inscrições abertas de concurso para 58 vagas
A UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) está com inscrições abertas para o concurso público com 34 vagas para cargos de nível médio e 24...
Funsat Itinerante visita três bairros nesta semana em Campo Grande
Três bairros serão visitados nesta semana pelo programa Funsat Itinerante, realizado pela Funsat (Fundação Social do Trabalho) em Campo Grande. Os tr...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions