A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Junho de 2017

30/03/2011 16:20

Sindicato denuncia assédio moral em agências bancárias de Dourados

Angela Kempfer

O Sindicato dos Bancáriso da região de Dourados denuncia que os bancos Santander e Real estão fazendo a integração das duas instituições, mas quem paga o preço são so funcionários.

A entidade reclama da exploração ilegal do trabalho, com a exigência de uma espécie “de faz tudo” nas agências.

No dia 25 de março o Sindicato fez reuniões nas agências de Dourados para discutir o assunto.

"Os bancários agora são obrigados a fazer todo o serviço de retaguarda, como autenticação dos envelopes dos caixas rápidos, pagamentos e depósitos. Sem contar com a cobrança por metas. Como resultado, a jornada de trabalho é extrapolada diariamente e a vida familiar comprometida".

Segundo o Sindicato, nas duas agências do Santander em Dourados há assédio moral contra os funcionários, com ameaças de demissão.

O Sindicato dos Bancários de Dourados e Região denunciou as irregularidades ao órgão local do Ministério do Trabalho e Emprego, "que constatou as infrações em fiscalização iniciada em 12/01/2011 culminando com a lavratura de 06 (seis) autos de infrações, com relatório detalhado das irregularidades encaminhado ao sindicato em 18/03/2011, através do OFÍCIO/GRTE/MS/SEINT Nº 035/2011", lembra a entidade.

O mesmo relatório foi enviado ao Ministério Público do Trabalho e aponta desrespeito as leis como não conceder intervalo de 15 minutos para repouso/alimentação; não conceder intervalo para repouso/alimentação de, no mínimo 1 (uma) hora, para os bancários que cumprem jornada de mais de 6 (seis) horas; manter empregado trabalhando aos domingos sem prévia permissão da autoridade competente; prorrogar, além do estabelecido em acordo escrito ou convenção, a duração normal do trabalho do bancário; prorrogar a jornada normal, além do limite de 2 (duas) horas, sem qualquer justificativa legal; contratação por meio de terceiri-zação ilícita.

"Mas mesmo com todas essas autuações o banco espanhol não se faz de rogado. Continua pressionando os funcionários, descumprindo as leis brasileiras e desprezando os órgãos competentes como o MTE. O Sindicato não aceita este tipo de atitude e vem tomando todas as providências para coibir qualquer tipo de exploração e assédio moral", avalia em nota à imprensa.

O próprio Sindicato deve acionar judicialmente o banco.

Prefeitura abre 56 vagas para profissionais de educação física
Processo seletivo aberto da prefeitura quer contratar 56 profissionais de educação física para atuar no programa “Movimenta Campo Grande”. Os salário...
Concurso da Câmara de Ribas do Rio Pardo com 20 vagas inscreve até 7 de julho
Terminam no dia 7 de julho as inscrições do concurso público da Câmara Municipal de Ribas do Rio Pardo, distante 103 quilômetros de Campo Grande. No ...



Mesmo com os altos lucros que as Instituições Bancárias arrecadam tratam seus Colaboradores como verdadeiros escravos e seus Clientes como crianças fazendo de conta que prestam um bom serviço, onde temos que adequar as tecnologias para mantermos fora das agencias fazendo os serviços que eles deveriam executar.
Ou seja pagamos por um serviço que nós mesmo executamos tanto nos caixas eletrónicos como via Web.
Onde está os Orgão fiscalizadores???. o lobby dos banqueiros é realmente forte......
Devemos marcar as Instituições que respeitam seus Colaboradores e boicotar as demais....
 
JOSÉ LUIZ DE BRITO em 31/03/2011 12:52:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions