ACOMPANHE-NOS    
MAIO, QUARTA  18    CAMPO GRANDE 16º

Cidades

Funai pede proteção da PF a antropólogos que estão em MS

Por Redação | 04/08/2008 17:24

Informações repassadas pela Delegacia de Polícia Federal de Naviraí, a 352 quilômetros de Campo Grande, dão conta de que a Funai (Fundação Nacional do Índio) enviou hoje um fax ao delegado-chefe substituto Cleverson José Vieira, com o pedido de proteção aos antropólogos que farão os estudos que podem determinar a demarcação de áreas indígenas na região do Cone Sul.

O pedido foi feito em função do incidente denunciado por dois antropólogos, que teriam sido perseguidos e fotografados por dois homens na manhã de ontem em Tacuru, a 422 quilômetros da Capital. O delegado em Naviraí, que está em viagem, deve se pronunciar oficialmente amanhã sobre o caso.

Os antropólogos Paulo Sérgio Delgado e Ruth Henrique da Silva e o motorista Eurípedes Miguel da Silva afirmaram que seguiam pela rodovia MS-295, próximo a Tacuru, quando perceberam que estavam sendo perseguidos por dois homens dentro de um Fiat/Uno.

Os funcionários da Funai alegaram terem sido seguidos a 160 quilômetros por hora. Ao encontrarem um posto do DOF (Departamento de Operações de Fronteira) os três informaram a perseguição aos policiais, que pararam os ocupantes do Uno para abordagem.

Com eles foram encontrados uma câmera digital e dois celulares com dispositivos para capturar imagens. Os dois afirmaram serem trabalhadores de fazendas da região de Iguatemi.

A ocorrência foi registrada na Delegacia de Polícia Civil, em Tacuru, e em seguida o caso foi repassado à Polícia Federal, em Naviraí, por se tratar de funcionários públicos federais em questões ligados a etnias indígenas. (Com informações do site Sul News)

Nos siga no Google Notícias