A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

30/07/2013 11:33

Governador ignora determinação de Bernal e não antecipa novo PAM do HR

Leonardo Rocha
Governador descarta antecipar obra em função de situação do HU (Foto: Marcos Ermínio)Governador descarta antecipar obra em função de situação do HU (Foto: Marcos Ermínio)

O governador André Puccinelli (PMDB) descartou antecipar a inauguração do novo PAM (Pronto Atendimento Médico) do Hospital Regional Rosa Pedrossian, em função do fechamento do setor no Hospital Universitário. A resposta foi reação ao prefeito Alcides Bernal (PP), que determinou, ontem à tarde, a imediata abertura do pronto socorro do HR.

André ressaltou que é preciso concluir a obra e promover concurso público para a contratação de novos profissionais. “Temos que terminar a estrutura, convocar os funcionários, ainda vai demorar para que o setor seja inaugurado, não iremos sair do que estava planejado”, ressaltou ele.

A Prefeitura de Campo Grande havia afirmado em nota que determinou ao governador a “antecipação” da obra, porém ele foi irredutível. “Esta situação é de responsabilidade da prefeitura, eu não sou o prefeito”, respondeu André.

Ontem durante a vistoria no hospital, o coordenador do PAM, Fernando Goldoni, ressaltou que a obra seria finalizada até o dia 15 de agosto, mas seu funcionamento ainda não tinha sido determinado. “Falta alguns detalhes e a contratação de médicos”, ressaltou ele.

O novo PAM do Hospital Regional aumentará de 35 para 58 leitos adultos, de 10 para 19 leitos pediátricos e mais 12 (leitos) para o setor de psiquiatria. Cada setor terá dois consultórios médicos, leitos de isolamento e postos de enfermagem.

Falta de recursos – O governador ressaltou que a situação caótica nos principais hospitais públicos e filantrópicos do país acontece pelo repasse “ineficiente” de recursos feitos pela União.

André explicou que o município deve investir 10% da sua receita líquida, e os estados 12%, no entanto o governo federal vetou destinar 10% de sua receita para saúde. “A Dilma (Rousseff) vetou, os hospitais que realizam todos os procedimentos não conseguem se sustentar, falta grana”, destacou.

O governador apontou que as unidades de saúde que atendem casos de baixa e média complexidade não conseguem “acertar” as contas, pois o repasse não é suficiente. “Uma consulta no SUS (Sistema Único de Saúde) paga-se R$ 10,00 e uma operação cesariana cerca de R$ 400,00, mas se for contar o médico, cirurgia, material e medicamentos, os gastos serão maiores, apenas nos casos de alta complexidade o recurso é satisfatório”, ressaltou.

Puccinelli fez questão de citar a Santa Casa, que segundo ele, tem um déficit de R$ 3 milhões justamente porque atende a todos os casos e não consegue fechar o mês de forma positiva. “Não é questão de má gestão, simplesmente o que vem não consegue pagar as contas”, concluiu.

HU reabre centro cirúrgico após três semanas e volta a realizar cirurgias
Depois de três semanas sem atender nenhum paciente, o Centro Cirúrgico do HU (Hospital Universitário) da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do...
TSE: regras eleitorais deixam dúvidas sobre fake news e autofinanciamento
O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (18), por unanimidade, as 10 resoluções que irão regular as eleições de 2018, mas ainda ...


Sabe não entendi pq é preciso abrir concurso, sendo que há candidatos aprovados no concurso do Hospital Regional aguardado convocação, como eu por exemplo. Que desculpa ridícula!
 
ANDREIA DE PAULA em 30/07/2013 19:33:14
Uaiiiii o Bernal não dizia na campanha "prá que tantos postos de saúde se não tem médicos"? e que ele iria triplicar o numero de médicos na capital para resolver de vez o problema da saúde, e agora esta brigando para que as pressas inaugure-se mais um o PAM do HR e sem médicos uaiiiiiiii, kkk.
 
Antonio Mazeica em 30/07/2013 15:36:18
Isso mesmo... Dr., a população agradecerá nas urnas em 2014, mas naquelas urnas de madeira das funerárias!!!
 
wilmar cristovão em 30/07/2013 15:15:44
Sr.Governador, infelismente estou decepcionado com vossa senhoria. Além da saúde de campo grande esta toda sucateada por falta de responsabiliade dos seus parceiros, nelson trad, mandetta e mazina. Agora vossa senhoria me faz este desfavor contra a população de campo grande. Esta atitude sua é irresponsável, demonstra claramente a falta de humanismo e sensibilidade para com a nossa população. Como médico, o senhor esta dando um belo exemplo de como médico cuida da saúde. Parabéns por ajudar a provocar o caos em campo grande, daremos a resposta nas urnas.
 
Marcos Silva em 30/07/2013 15:10:37
Parabéns Doutor...a população agradecera nas urnas em 2014.
 
Ester Menacho em 30/07/2013 13:36:20
Prezada Fabrícia, que venham as consequências então! Ninguém percebe que estamos falando de vidas, prezada. É saúde, tem pessoas morrendo! O Aquário do Pantanal, esta a todo vapor enquanto pessoas morrem por descaso político. Então continuo com a minha posição, querida.
 
Emerson Torres em 30/07/2013 13:32:17
Meu caro Emerson e Maria infelizmente não se corre com obra e qualquer pessoa sabe que os hospitais não conseguem se manter com os repasses do SUS. Não sou a favor de politico nenhum só acho que todas as vezes que se corre com Obra problemas aparecem mais tarde. Infelizmente vivemos num país que a saúde sempre fica em último plano.
 
Fabricia Lima em 30/07/2013 12:48:34
Depois dizem cadê o Bernal e tralalá. Olha só esse governador negando soluções para questões de saúde só por rixinha. Se fosse o Nelsinho, o PAM já estaria pronto. Ridícula essa "política" sul matogrossense,
 
Emerson Torres em 30/07/2013 12:03:01
é porque não é ele que está nas filas aguardando um atendimento, para que pressa na inauguração né governador!!!!
 
Maria Lima em 30/07/2013 11:41:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions