A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

04/01/2016 16:28

Governo apura se outras 30 pontes correm risco de desabar em MS

Alan Diógenes
Secretario estadual de Infraestrutura, Marcelo Migliori disse que se for apontado falha em projeto em ponte que desabou, outras 30 pontes correm o mesmo risco. (Foto: Gerson Walber)Secretario estadual de Infraestrutura, Marcelo Migliori disse que se for apontado falha em projeto em ponte que desabou, outras 30 pontes correm o mesmo risco. (Foto: Gerson Walber)

O governo de Mato Grosso do Sul fará uma auditoria para analisar o que aconteceu na ponte sobre o rio Santo Antônio na MS-382, que desabou no sábado (2), entre os municípios de Guia Lopes da Laguna e Antônio João. O objetivo é descobrir se houve falha no projeto de construção, que é o mesmo de outras 30 pontes construídas na mesma época em diferentes regiões do Estado.

Conforme o secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Migliori, se ficar constatado que essa foi a real causa do incidente, essas outras pontes também correm o risco de cair. “Trabalhamos com três hipóteses: a primeira é de que houve erro na execução do projeto, a segunda é que a o motivo foi as condições climáticas e a terceira que houve falha no projeto. Se for confirmada a terceira hipótese teremos que verificar outras 30 pontes que tiveram o meso projeto de construção”, explicou.

Segundo o secretário, o resultado da auditoria sai daqui uma semana, ou seja, no dia 10 deste mês. Para acompanhar a vistoria o Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura) convidou o engenheiro Carlos Liberato Portugal, professor do curso de engenharia da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e especialista em estrutura de concreto).

Também será vistoriada MS-180, que liga Iguatemi a Juti. Por lá trechos foram danificados entre os quilômetros 15 e 30, conforme o secretário devido a uma barragem de uma área particular que cedeu. “Se ficar constatado que a responsabilidade do incidente foi do proprietário da área, ele será punido conforme a lei”, mencionou Migliori.

Além disso, a MS-295 entre os municípios de Tacuru e Iguatemi, que teve rompimento na cabeceira da ponte sobre o Rio Jogui, devido ao grande volume de água da chuva e a MS-156 que também passou por estragos. As auditorias serão feitas por outra empresa, e não a que construiu as pontes.

Ainda no Sul do Estado, nove empresas tentam recuperar estradas, mas de acordo com o secretario não conseguem terminar por contas das chuvas constantes.

A auditoria custará ao governo o valor de 5 a 10 mil reais. “Mas o importante é que o governo está fazendo o possível para conseguir resolver este problema, causado por conta das condições atípicas de chuvas que atingiram todas as regiões do Estado no final do ano passado”, finalizou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions