A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

09/09/2010 16:26

Incra anuncia devassa em assentamento de Itaquiraí

Redação

A superintendência do Incra em Mato Grosso do Sul anunciou hoje que vai rever todas as atividades realizadas no complexo de assentamentos Santo Antônio, no município de Itaquiraí, a 350 quilômetros de Campo Grande.

O órgão também declarou apoio às investigações da Polícia Federal sobre vendas de lotes, que teriam gerado prejuízo de R$ 62 milhões em verbas públicas.

A ordem de serviços determinando a operação em Santo Antônio foi assinada hoje pelo superintendente regional, Manuel Furtado Neves, que assumiu o cargo no lugar de Waldir Cipriano Nascimento, exonerado após ser apontado como integrante da quadrilha que vendia ilegalmente lotes do assentamento Santono Antônio.

Segundo o Incra divulgou, vão ser percorridos 1.188 lotes lotes para verificar como estão sendo ocupados. O trabalho será realizado 15 servidores, dividos em cinco equipes.

O prazo para concluir a ação é de 15 dias, com relatórios a serem apresentados a cada 5 dias.

O resultado do levantamento, segundo Manuel Furtado Neves, será um panorama exato da atuação do Incra nos assentamentos em questão. "Assim, podemos identificar e consertar as situações irregulares", afirma.

Investigação- Além de reexaminar os procedimentos internos, o Incra também anunciou que pretende colaborar ativamente no inquérito aberto para apurar a venda de lotes.

Houve um encontro hoje entre representantes do MPF e o o diretor de Obtenção de Terras e Implantação de Projetos de Assentamento, Celso Lisboa, no qual, conforme o órgão divulgou, ele ofereceu os serviços de peritos de Brasília para auxiliarem na apuração.

O superintendente do órgão no Estado também participou da reunião. Segundo ele, o procurador responsável pelo processo acenou de forma favorável ao auxílio. "Somos parceiros e vamos dar todo suporte necessário para explicar os fatos", afirmou Neves.

Especialistas vão vir ao estado, na próxima e irão para Naviraí, onde a ação está concentrada. Eles vão esclarecer ao MPF as normas e procedimentos técnicos do Incra, acelerando a investigação.

Na quarta-feira, está prevista que o Diretor Substituto de Desenvolvimento de Projetos de Assentamento da autarquia, Vinícius Ferreira de Araújo, também reservou agenda para acompanhar a situação no estado.

O diretor afirmou que dará apoio caso a direção local considere oportuno abrir sindicâncias. "Quem tiver problemas, terá de arcar com eles. O que temos certeza é que não permitiremos que os assentados sejam prejudicados", concluiu.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions