A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

20/06/2016 12:51

"Vida continua normal": comerciantes tentam acalmar turistas após mortes

Anny Malagolini
Movimento na fronteira caiu pela metade (Foto: Direto das Ruas )Movimento na fronteira caiu pela metade (Foto: Direto das Ruas )

A onda de violência em Pedro Juan Caballero – em uma semana foram registrados quatro homicídios – tem provocado queda no turismo da região e, consequentemente, desfalcado o comércio local, que vê no brasileiro o principal cliente. Com impacto negativo nas vendas, comerciantes da fronteira se mobilizam para tentar mostrar clima de “tranquilidade” e distante do crime.

O último episódio ocorreu na noite de domingo (19), quando três homens foram baleados enquanto jogavam vôlei. “A gente não tem medo, dá uma aparência de medo, mas quem vive na fronteira, se não está errado, a vida continua normal. Se é de bem, não acontece nada. Não matam inocentes”, disse Alexandre Esteban Benites, Presidente da Associação comercial em Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

Empresário na cidade há cinco anos, ele contou que essa é a pior crise vivida nos últimos anos, e que após os homicídios o número de turistas na fronteira caiu pela metade. “A minha loja recebia cerca de 100 pessoas por dia, mas desde semana passada caiu para 40, 50”, revelou.

De acordo com Benites, os comerciantes estão preocupados com a situação e devem se reunir nesta semana com autoridades paraguaias para encontrar uma solução. “O Estado tem que fazer, com reforço de policiamento, não nós”, criticou.

Mas o turismo na fronteira ainda é visto com otimismo por comerciantes, como no caso do brasileiro Amauri Osório, também Presidente da Associação Comercial de Ponta Porã. Para o empresário, os últimos episódios de violência não tem influenciado no turismo local, e a culpa do “sumiço” dos clientes é consequência da crise brasileira. “Temos segurança, está normal, como antes dos atentado Não há porque ter medo ”, assegurou.

Incentivo – Com receio de que os casos de violência afastem ainda mais os turistas brasileiros, que neste ano visitaram em menor frequência a fronteira devido a alta do dólar, os comerciantes locais já pensam em alternativas para “despreocupar” os visitantes.

A partir de amanhã até o dia 21 de julho, o comércio de Pedro Juan Caballero vai promover o “Dólar Congelado”, como forma de atrair clientes. São vinte lojas de produtos importados e até hotéis participantes da promoção, que irá funcionar da seguinte forma: Cada lojista poderá escolher entre atribuir descontos no valor da taxa cambial ou sobre o próprio produto, e o desconto poderá chegar a 40%.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions