ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  03    CAMPO GRANDE 26º

Interior

A empresários, prefeito diz que não pode contrariar Estado sobre restrições

Donos de bares e lanchonetes afirmam que novo toque de recolher vai “quebrar” o setor

Por Helio de Freitas, de Dourados | 15/03/2021 13:48
Prefeito e vereadores reunidos com comerciantes (Foto: Valdenir Rodrigues/Divulgação)
Prefeito e vereadores reunidos com comerciantes (Foto: Valdenir Rodrigues/Divulgação)

Um dia após entrar em vigor o novo toque de recolher das 20h às 5h com fechamento de setores não essenciais aos sábados e domingos às 16h, empresários da noite de Dourados (33 km de Campo Grande) recorreram hoje (15) a vereadores e ao prefeito Alan Guedes (PP).

Reunidos na Câmara, por interlocução do presidente do Legislativo Laudir Munaretto (MDB), donos de bares, pizzarias, lanchonetes e conveniências cobraram flexibilização das medidas. Eles afirmaram que o decreto fechando os estabelecimentos às 20h de segunda à sexta e às 16h nos fins de semana vai “quebrar” o setor e gerar ainda mais desemprego.

Os empresários pediram para o prefeito não seguir todas as medidas determinadas no decreto estadual, mas Alan Guedes afirmou não poder descumprir as regras sob risco de ser afastado do cargo e até ter o mandato cassado.

Segundo ele, qualquer medida adotada pelo município não pode ser menos restritiva do que o atual decreto do Governo do Estado em vigor até o dia 27 deste mês. O prefeito se comprometeu em buscar alternativas com a Câmara para atender outras solicitações dos empresários, mas sem flexibilizar as medidas estaduais.

Já o presidente da Câmara Laudir Munaretto informou que tem buscado com a prefeitura medidas para amenizar o impacto financeiro diante das restrições do comércio noturno. Na sessão de hoje à tarde, os vereadores vão apresentar indicação coletiva propondo isenção de alvará e IPTU ao comércio noturno, incluindo setor de eventos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário