A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019

18/06/2019 12:07

Advogada não tinha nenhum grama de droga, diz defesa que pedirá soltura

Mary Stella Martins de Oliveira foi presa por suspeita de envolvimento no sumiço de entorpecente da 1ª DP de Aquidauana

Anahi Zurutuza
Mary Stella Martins de Oliveira posa para foto (Foto: Facebook/Reprodução)Mary Stella Martins de Oliveira posa para foto (Foto: Facebook/Reprodução)

A advogada Mary Stella Martins de Oliveira teve a casa vasculhada e foi presa por suspeita de envolvimento no sumiço de 100 quilos de cocaína da 1º DP (Distrito Policial) de Aquidauana, distante 135 quilômetros de Campo Grande. Com ela, contudo, não foi encontrado nenhum grama da droga, alega o advogado Almiro Tamashiro Quelho.

Este será um dos argumentos usados pela defesa para pedir o habeas corpus da cliente. “Ele está presa desde sábado (15) e até agora não foi ouvida. Só hoje às 11h20 tivemos acesso ao boletim de ocorrência e registros da polícia”, reclama o defensor.

Almiro Quelho explica ainda que o pedido de prisão preventiva contra Mary Stella é baseado e “fortes indícios” da participação dela no furto da droga, mas questiona a falta de evidências. “Que fortes indícios são esses? Não tem. Não tem nenhuma prova contundente”.

O advogado diz que hoje à tarde vai se debruçar sob os documentos que teve acesso para elaborar a defesa e o pedido de liberdade da cliente. O processo que contém o pedido de prisão tramita em sigilo por enquanto.

O caso - Os 100 quilos de cocaína sumiram na semana passada. Na terça-feira (11), a casa da advogada foi revistada pela Polícia Civil, trabalho acompanhado pelo presidente da terceira subseção de Aquidauana da OAB/MS, Vinícius Mendonça de Britto.

O imóvel passou por nova busca no sábado (15), desta vez, a ação teve a participação da Corregedoria da Polícia Civil, OAB e da defesa de Mary Stella. Britto confirma que nos dois dias nada foi encontrado no local.

Mary Stella está em cela isolada, na mesma delegacia onde a drogam estava armazenada.

Em nota, a Polícia Civil informou que, o furto ocorreu mediante escalada e arrobamento, mas não descartou a participação de servidores da delegacia. "Caso se confirme qualquer colaboração por parte de servidor policial civil na prática delituosa, serão instaurados procedimentos administrativos conforme previsão na legislação vigente".

A Corregedoria da PC instaurou inquérito para apurar o sumiço da droga e se há participação de algum policial no caso. Nesta segunda-feira (17), o delegado titular da delegacia de Aquidauana, Eder Oliveira Morae, foi transferido para Selvíria.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions