ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Avaliado em R$ 800 mil, avião de piloto do tráfico vai a leilão em setembro

Cessna pertencente a Ilmar de Souza Chaves está em hangar no aeroporto de Ponta Porã

Por Helio de Freitas, de Dourados | 20/08/2020 17:06
Um dos 23 aviões apreendidos na Operação Cavok, no dia 5 deste mês (Foto: Divulgação)
Um dos 23 aviões apreendidos na Operação Cavok, no dia 5 deste mês (Foto: Divulgação)

A Justiça Federal mandou leiloar um dos aviões do piloto Ilmar de Souza Chaves, 65, o “Pixoxó”, acusado de narcotráfico e preso no dia 5 deste mês na Operação Cavok, da Polícia Federal. O Cessna Aircraft 210L branco, prefixo Pruss, está apreendido desde o ano passado no hangar do Aeroporto Internacional de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai.

Em despacho assinado terça-feira (18), o juiz da 3ª Vara Federal em Campo Grande, Bruno Cezar da Cunha Teixeira, homologou o valor da avaliação da aeronave em R$ 800 mil e designou o leilão para 9h do dia 24 de setembro (primeira praça) e 9h do dia 5 de outubro (segunda praça). Por causa da pandemia do novo coronavírus, o juiz determinou leilão exclusivamente eletrônico.

“Considerando que bens da espécie depreciam-se facilmente com o passar do tempo, além de demandarem altas despesas mensais com a hangaragem, entendo que a aeronave deve ser levada à alienação pública o mais rápido possível”, afirmou o juiz.

O avião foi apreendido em 2019 pela Polícia Federal em Ponta Porã e incluído na ação penal por lavagem de dinheiro, ocultação de bens e falsidade ideológica, em andamento na 3ª Vara Federal em Campo Grande. A aeronave está registrada em nome de Maria Aparecida Alves Nunes, supostamente “laranja” usada pelo traficante.

Atuando no transporte de cocaína há pelo menos três décadas, Ilmar Souza Chaves teve ligação com o narcotraficante carioca Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, e com o ex-major da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul Sérgio Roberto de Carvalho, o “Major Carvalho”, condenado a 35 anos de prisão.

Bois – Na semana passada, a juíza Carolline Scofield Amaral, da 1ª Vara Federal em Ponta Porã, determinou abertura de processo para leiloar 564 cabeças de bois apreendidas na Fazenda Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Rubiataba (GO), durante a Operação Cavok. A propriedade foi um dos imóveis confiscados pela Justiça no dia da operação.

A investigação da Polícia Federal revela que a fazenda pertence ao piloto, preso na operação. Oficialmente, no entanto, está em nome das filhas de Ilmar. Na operação do dia 5 a PF também apreendeu outros 23 aviões usados para transporte de cocaína.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário