ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Câmara rejeita abrir processo contra vereador acusado de homofobia

Sergio Nogueira disse na sessão que governador do RS estava preocupado com “primeiro-damo”

Por Helio de Freitas, de Dourados | 27/05/2024 18:51
Vereador Sergio Nogueira durante a sessão desta segunda; representação foi arquivada (Foto: Divulgação)
Vereador Sergio Nogueira durante a sessão desta segunda; representação foi arquivada (Foto: Divulgação)

Por nove votos a oito, a Câmara de Dourados rejeitou durante a sessão desta segunda-feira (27) a abertura de processo administrativo contra o vereador Sergio Nogueira (PP), denunciado por homofobia contra o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB).

Na sessão do dia 13 deste mês, Sergio Nogueira disse que não mandaria nenhum valor por pix para o governo gaúcho em ajuda aos desabrigados pela chuva porque Eduardo Leite estaria mais preocupado com o “primeiro-damo”, se referindo ao marido do governador, o médico Thalis Bolzan.

“Foi falado aqui por alguns vereadores de mandar dinheiro ao Rio Grande do Sul. Cadê esse governador do Rio Grande do Sul? O senhor não receberá um pix meu, posso mandar pra Apae, para a Pestalozzi, para os gaúchos sérios, mas para o senhor não. O senhor está preocupado com o seu ‘primeiro-damo’ ai no seu governo”, afirmou.

Na semana passada, o vereador Diogo Castilho (PSDB) entrou com representação no Conselho de Ética da Câmara contra o colega de Legislativo por quebra de decoro. O deputado federal Geraldo Resende (PSDB) também apresentou denúncia contra Sergio Nogueira.

As duas denúncias foram votadas em bloco durante a sessão de hoje e no plenário houve empate em 8 a 8. Então, o presidente, Laudir Munaretto (MDB), usou o chamado “voto de minerva” e votou pelo arquivamento das representações.

Votaram a favor da abertura do processo os vereadores Diogo Castilho, Elias Ishy (PT), Rogério Yuri (PSDB), Márcio Pudim (PSDB), Juscelino Cabral, Tania Cristina (PSDB), Fábio Luis (Republicanos) e Liandra Brambilla (PSDB).

Contra o recebimento da denúncia votaram Marcão da Sepriva (PP), Daniel Junior (PP), Daniela Hall (PP), Marcelo Mourão (PL), Cemar Arnal (PP), Creusimar Barbosa (União Brasil), Olavo Sul (MDB) e Janio Miguel (PP).

Sergio Nogueira se defendeu das acusações e negou ter praticado homofobia. “Não sou homofóbico. Não ataquei a pessoa dele. Eu quis dizer sim sobre o pedido de pix para o governo do Estado do RS e a administração pífia dele acerca da situação em que se encontra atualmente o Estado”.

Segundo ele, após a fala descobriu que o termo “primeiro-damo” não existe e que o correto é primeiro-cavelheiro. “Hoje pesquisando percebi que inexiste. Mas não foi usada intencionalmente com objetivo de ataque ou por ser homofóbico. Respeito as opções e orientações sexuais de cada cidadão, inclusive do governador do Rio Grande do Sul”, afirmou.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias