ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  26    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Com “nome na boca do povo”, advogado que matou ex-dirigente do PSL pede sigilo

Acusado também alegou ser "advogado militante" para solicitar sigilo do processo por feminicídio

Por Clayton Neves | 07/07/2021 15:48
Advogados endo atendido por equipe do Samu depois de passar mal em delegacia. (Foto: Jornal da Nova)
Advogados endo atendido por equipe do Samu depois de passar mal em delegacia. (Foto: Jornal da Nova)

Alegando estar com “o nome na boca do povo e da mídia”, o advogado Alexandre França Pessoa, de 42 anos, pediu à Justiça que colocasse em sigilo processo sobre o homicídio de Fernanda Daniele de Paula Ribeiro dos Santos, de 36 anos, ex-presidente do Diretório Municipal do PSL (Partido Social Liberal) em Nova Andradina, morta por ele com uma facada no pescoço. Onze dias após a solicitação, o pedido foi negado pelo juiz substituto da 2ª Vara do tribunal do Júri de Campo Grande, onde corre a ação.

No pedido, feito de próprio punho, Alexandre ainda afirma que desconhecidos teriam imprimido e jogado cópia da denúncia contra ele no portão do Presídio Militar de Campo Grande, onde ele segue aguardando julgamento. Com a justificativa de ser “advogado militante”, ele pede que a Corregedoria investigue. “Peço que seja encaminhado para a Corregedoria saber por quê não houve sigilo na carta precatória.

Em sua decisão, o juiz Marcel Henry Arruda considerou que partes do processo já foram colocadas em sigilo por conterem fotos íntimas da vítima e fotos íntimas. “ Assim, uma vez que, na presente carta precatória, não foram encaminhados os documentos, mas apenas cópia da denúncia, tampouco consta no rosto da aludida menção para que se processe em sigilo, indefiro o  pedido do réu”, determinou.

O crime - O corpo de Fernanda Daniele Santos foi encontrado no dia 29 de abril, por volta das 6h20, em plantação de milho perto da MS-276, entre Nova Andradina e Batayporã. Fernanda foi degolada e o corpo arrastado para o local.

Prints de mensagens trocadas pela vítima reforçam a tese de que ciúmes foi a principal motivação para a morte. Depoimentos e mensagens printadas, no notebook e celular de Fernanda, mostram que ela conversava com outros homens além do advogado, o que pode ter causado ciúmes em Alexandre.

Conforme testemunhas, o advogado prometia se casar com Fernanda, mas estava em processo de divórcio e não deixava a casa da antiga mulher.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário