A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

28/07/2019 16:40

Dupla que oferecia “recompensa” para obter transferência bancária é presa

Ocorrência revelou furto de cartão bancário de mulher; golpistas propunham dar dinheiro para vítimas enviarem valores a contas

Humberto Marques
Caso foi registrado na Polícia Civil de Dourados. (Foto: Dourados Agora/Reprodução)Caso foi registrado na Polícia Civil de Dourados. (Foto: Dourados Agora/Reprodução)

Duas pessoas foram presas em flagrante sob a acusação de furtar um cartão de banco tentar aplicar golpes contra correntistas da Caixa Econômica Federal em Dourados –a 233 km de Campo Grande. O esquema consistia em oferecer “recompensas” a pessoas que aceitassem fazer transferências para que, depois, eles sacassem os valores.

O boletim da ocorrência relata que, por volta das 10h40 de sábado (27), a dupla abordou um cliente da Caixa na agência da Avenida Joaquim Teixeira Alves, dizendo que precisavam transferir dinheiro para depois sacar e, para isso, ofereceram uma recompensa. O usuário do banco rejeitou a proposta, deixou o local e acionou a Polícia Militar.

Pouco depois, a guarnição foi até o banco, onde um dos suspeitos foi visto com um indígena no caixa eletrônico. Os policiais aguardaram os dois deixaram a agência e realizaram a abordagem com busca pessoa.

Janivaldo Fogaça Bispo Pereira, 32, levava consigo a quantia de R$ 2.050, um cartão do banco Santander sem seu nome e um da CEF também de outra pessoa –que, segundo o suspeito, seria um amigo do Distrito Federal. A titular do cartão, porém, era uma mulher que foi contatada a comparecer à Delegacia de Polícia Civil.

Já o indígena revelou que Janivaldo estava acompanhado de outra pessoa e fez a ele a mesma proposta feita ao homem que procurou a PM: abordado próximo à Rua João Rosa Góes, o suspeito teria lhe pedido para transferir um valor para sua conta e, assim que o dinheiro fosse liberado, pagaria uma compensação de R$ 150 “em gratidão pelo favor”. No momento em que foi procurado por Janivaldo, este estava em um automóvel sedan preto, com placas de Belo Horizonte (MG).

À polícia, Janivaldo assumiu atuar com um comparsa identificado, primeiramente, como “Carlos”, confessando terem abordado uma senhora na agência e subtraído seu cartão e senha. Depois, eles confirmaram terem feito um saque de R$ 1,2 mil e uma transferência de R$ 1,6 mil –a mulher, por sua vez, disse que uma pessoa havia se identificado como funcionário do banco e apresentado um falso impresso, alertando sobre a necessidade de atualização da senha e letras de acesso para não ter o cartão cancelado.

Acreditando ser verdade, ela foi acompanhada do “funcionário” ao caixa eletrônico, onde o golpista decorou a senha e ficou com o cartão, substituindo-o pelo de uma terceira pessoa. A mulher só percebeu o furto ao tentar fazer uma compra e não ter a senha validada.

Os policiais deram voz de prisão a Janivaldo e pediram ao indígena que concluísse a transação, sendo realizado saque de R$ 1,5 mil, que foram apreendidos. Foram feitas novas diligências, resultando na localização do comparsa de Janivaldo, identificado como Kenilson de Souza Teixeira, 32. Este estava no automóvel na companhia de uma terceira pessoa, contra a qual havia mandado de prisão expedido pela Justiça Estadual e que levava na bolsa vários cartões de banco distintos, em nome de diferentes, pessoas, e 20 lâminas de cheque. Também foram apreendidos dois pares de tênis, orçados em R$ 2,8 mil.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions