ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  27    CAMPO GRANDE 28º

Interior

Ex-político fuzilado na fronteira era suspeito de ligação com grupo de Beira-Mar

Em guerra com ex-sócio, Carlos Rubén Sánchez Garcete, o “Chicharõ”, foi morto em Pedro Juan Caballero

Por Helio de Freitas, de Dourados | 07/08/2021 09:48
Policiais na casa onde Carlos Rubén Sánchez Garcete foi fuzilado hoje. (Foto: ABC Color)
Policiais na casa onde Carlos Rubén Sánchez Garcete foi fuzilado hoje. (Foto: ABC Color)

O ex-suplente de deputado paraguaio Carlos Rubén Sánchez Garcete, o “Chicharõ”, foi executado por pistoleiros na manhã deste sábado (7), em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia vizinha de Ponta Porã, a 323 km de Campo Grande. Ele foi atingido, por pelo menos, 50 tiros.

Carlos Rubén era suspeito de ligação com o tráfico internacional de drogas, inclusive, com o brasileiro Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar. O Campo Grande News apurou com fontes da fronteira que há algum tempo ele estava em guerra com um ex-sócio do narcotráfico e um tinha prometido matar o outro.

Carlos Rubén Sánchez Garcete, o “Chicharõ”. (Foto: Reprodução)
Carlos Rubén Sánchez Garcete, o “Chicharõ”. (Foto: Reprodução)

Com a mulher e o filho de oito anos, ele estaria escondido na casa onde foi morto hoje de manhã. Na noite de ontem, “Chicharõ” teria recebido grupo de amigos no local. Eles saíram hoje cedo.

Logo em seguida, alguém tocou o interfone avisando que era uma equipe de agentes especiais da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas). Assim que a empregada da casa abriu o portão, foi rendida junto com o segurança.

O ex-político dormia com a mulher e foi acordado pelos pistoleiros. Ela foi retirada do local e “Chicharõ” morto com vários tiros. O filho do casal estava em outro quarto.

Segundo as primeiras informações da Polícia Nacional, pelo menos, dez homens armados invadiram o local para matar o ex-político, que tinha fazendas no Paraguai e era muito conhecido e respeitado em Capitán Bado, cidade vizinha de Coronel Sapucaia (MS).

Conforme a polícia, a casa onde “Chicharõ” estava morando tinha forte esquema de segurança com muro alto, circuito interno de câmeras e depois do portão tem uma porta de metal, que só pode ser aberta por dentro.

Depois que fuzilaram o ex-político, os pistoleiros saíram da casa e na rua se depararam com uma viatura da Polícia Nacional. Em dois carros, os bandidos dispararam tiros de fuzil contra os policiais e fugiram.

Horas após execução, o carro foi encontrado queimado na periferia de Pedro Juan Caballero. Peritos da Polícia Nacional do Paraguai estão no local em que o veículo foi encontrado.

Veículo queimado, encontrado depois da execução. (Foto: Ponta Porã News)
Veículo queimado, encontrado depois da execução. (Foto: Ponta Porã News)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário