A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

18/11/2015 10:39

Famosa por plantar mandioca, cidade agora é rainha do café e do urucum

Renata Volpe Haddad, enviada especial a Ivinhema
Ivinhema é o maior produtor de café de Mato Grosso do Sul. (Foto: Fernando Antunes)Ivinhema é o maior produtor de café de Mato Grosso do Sul. (Foto: Fernando Antunes)

A história do município de Ivinhema, distante 282 km de Campo Grande, mistura-se com o agronegócio devido a fertilidade da terra que atrai produtores para a região. Conhecida como a terra da mandioca, a diversidade de cultivos dentro dos 200 mil hectares, surpreende quem conhece o município.

A variedade vai desde a cana-de-açúcar até a plantação de urucum, que coloca Ivinhema na posição de maior produtor de Mato Grosso do Sul. A fertilidade da terra é tanta, que a prefeitura incentivou pequenos produtores com a fruticultura, e hoje existem plantações de mamão, goiaba, maracujá, abacaxi, em mais de três milhões de pés plantados.

Conforme o secretário de agricultura do município, José Corte Real Coelho, Ivinhema foi colonizado por paulistas de uma forma diferente. "Foram constituídas várias glebas e com isso, foram feitos núcleos, como igrejas, área de lazer, etc. Em volta das glebas, foram formados pequenos lotes, iniciando as comunidades. Com isso, pequenos produtores tradicionais foram chegando com sementes de café, com a cultura de lavoura", comenta.

Antes dependente do cultivo de mandioca, pequenos produtores apostaram no urucum, atividade que deu certo em Ivinhema. (Foto: Fernando Antunes)Antes dependente do cultivo de mandioca, pequenos produtores apostaram no urucum, atividade que deu certo em Ivinhema. (Foto: Fernando Antunes)

Diversidade - O município é o maior produtor de café de Mato Grosso do Sul e a colheita do grão emprega muitos moradores. São moídos e torrados de 20 a 25 mil quilos de café em Ivinhema, pelos próprios produtores do grão.

A plantação de urucum agrega valores aos pequenos produtores do município, sendo bem rentável e não precisando fazer um grande investimento. Em 2015, foram colhidos 211 toneladas em Ivinhema. A maioria dos produtores, que antes sobreviviam da plantação da mandioca, se arriscaram no urucum, que vem dando certo há nove anos.

Antigamente, os produtores dependiam apenas da mandioca e quando surgia uma crise no setor, causava um desespero grande, já que muitos não tinham renda. "Durante o mandato do prefeito Renato Câmara, a prefeitura buscou alternativas, e foi atrás de empresa de confecção, que se instalou e gera mais de 250 empregos no município. Isso foi um diferencial, pois empregava as mulheres e quando o setor da mandioca ficava em crise, elas que mantinham as casas", afirma o secretário.

Recentemente, alguns produtores junto com uma equipe da prefeitura e Sebrae, foram até Marialva, no Paraná, conferir uma plantação de uva, com objetivo de ativar a fábrica de polpa e transformar em fábrica de suco em Ivinhema, para atender especialmente a merenda escolar.

"Se cada aluno consumir 250 ml de suco por semana, não vamos conseguir atender as escolas. Por isso precisamos apostar nas plantações e na variedade, já que o suco é natural e bem mais saudável do que refrigerante", explica Coelho.

Secretário de agricultura conta sobre a diversidade de plantações e como Ivinhema se destaca entre os outros municípios. (Foto: Fernando Antunes)Secretário de agricultura conta sobre a diversidade de plantações e como Ivinhema se destaca entre os outros municípios. (Foto: Fernando Antunes)

Com o tamanho da diversidade de cultura, o que predomina realmente em Ivinhema, é a produção de cana-de-açúcar, com mais de 30 mil hectares plantados. Com isso, a usina Adecoagro se instalou no município e gera mais de 3 mil empregos.

Há espaço para o cultivo de soja e milho com quase 10 mil hectares plantados, além de Ivinhema ter 180 mil cabeças de gado. São três laticínios no município que também se destaca na produção leiteira. Ao contrário do que noticiado no primeiro semestre do ano, sobre o fechamento de vários frigoríficos no Estado, o Frigovema, abate 100 cabeças por dia e está a todo o vapor, abastecendo a região e o mercado interno. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions