ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  16    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Festa em cassino na fronteira tem aglomeração como se “não existisse pandemia”

Na bandeira cinza, Ponta Porã sofre com a população atravessando fronteira para curti noite paraguaia

Por Geisy Garnes | 14/06/2021 09:43



Enquanto tenta lida com os altos índices de contágio e frear o coronavírus, Ponta Porã enfrenta dificuldade em impedir que a população saia de casa para frequentar bares e casas noturnas no país vizinho. Na noite de ontem, vídeos de um show em um cassino a poucos metros da linha de fronteira entre a cidade e Pedro Juan Caballero mostram várias pessoas aglomeradas, sem respeitar qualquer tipo de medida de biossegurança.

A festa ocorreu em um cassino, localizado na Avenida Dr. Gaspar Rodriguez de Francia,via paralela a linha que divide Ponta Porã a cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero. Nas imagens enviadas ao Campo Grande News é possível ver um grande número de pessoas acompanhando show no local. Ninguém usa máscara ou mantém distanciamento social, apontado medidas eficazes de controle contra a disseminação do coronavírus.

Segundo moradores da região, muitos dos clientes do cassino são brasileiros que atravessaram a fronteira para aproveitar a noite paraguaia, já que o município sul-mato-grossense enfrenta altas taxas de proliferação da Covid-19, foi classificado como bandeira cinza no Prosseguir, para grau extremo de contaminação e por isso segue uma série de restrições, como toque de recolher às 20 horas e funcionamento apenas de estabelecimentos do serviço essencial.

Show aconteceu na noite de ontem, em um casino na fronteira (Foto: Reprodução Vídeo)
Show aconteceu na noite de ontem, em um casino na fronteira (Foto: Reprodução Vídeo)

Na cidade já foram registradas 229 mortes pela doença. Na semana passada o prefeito Hélio Peluffo (PSDB) declarou em vídeo que o aumento no número de mortes – quatro a seis por dia – estava causado superlotação no Hospital Regional do município e por isso estavam “empilhando corpos” na unidade. A informação foi desmentida pelo diretor-geral do hospital, Demétrius do Lago Pareja, que apesar disso confirmou a situação caótica.

Neste fim de semana, quando se comemorou o Dia dos Namorados, a prefeitura recorreu ao Facebook para pedir colaboração da população. “Hoje é Dia dos Namorados e não dia de aglomeração em bares e restaurantes. O nível de circulação viral está extremo e o risco de comer e beber sem máscara em locais públicos é alto”, escreveram em uma das publicações. Apesar disso, os flagrantes de aglomeração na fronteira continuam.

Direto das Ruas - A denúncia chegou ao Campo Grande News por meio do canal Direto das Ruas, meio de interação do leitor com a redação. Quem tiver flagrantes, sugestões, notícias, áudios, fotos e vídeos pode colaborar no WhatsApp pelo número (67) 99669-9563.

Clique aqui e envie agora uma sugestão. Para que sua imagem tenha mais qualidade, orientamos que fotos e vídeos devem ser feitos com o celular na posição horizontal.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário