ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  13    CAMPO GRANDE 22º

Interior

Guarda vai apurar conduta de agentes envolvidos em prisão de advogada

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 08/03/2021 22:17
Momento em que advogada é abordada por guarda. (Foto: Reprodução/Vídeo) 
Momento em que advogada é abordada por guarda. (Foto: Reprodução/Vídeo)

A prefeitura de Dourados informou que vai abrir "procedimentos administrativos" para apurar a conduta dos guardas envolvidos na abordagem que resultou na prisão da advogada Thalita Peixoto, de 29 anos, no domingo (07). Thalita e alguns amigos estavam em uma residência onde havia som alto, situação que foi denunciada por moradores.

Conforme o município esta teria sido a segunda vez que o mesmo imóvel foi visitado pela Guarda Municipal, e pelo mesmo motivo: "aglomeração de pessoas, com som em alto volume perturbando o sossego da vizinhança, além de veículos estacionados na calçada", diz nota da prefeitura.

A advogada e os amigos foram abordados em frente a garagem da casa, enquanto ouviam música com a porta de um carro aberto. No endereço, havia cerca de oito pessoas. Conforme informado pelos guardas no Boletim de Ocorrência, durante a abordagem houve desacato e obstrução contra as autoridades locais por parte dos envolvidos, "além nas diversas tentativas de desqualificação dos profissionais da segurança pública de Dourados", informa o município.

"Diante dos fatos, por força da Lei, foi dada voz de prisão aos envolvidos, que insistiam, segundo a guarnição, em obstruir o trabalho da GMD e continuaram na ação de desacato. Mediante abertura de procedimentos administrativos específicos a conduta de todos os agentes públicos será objeto de apuração", diz a nota. .

O Comando da Guarda Municipal ainda informou que está acompanhando atentamente o caso e vai apurar os fatos. O município também ressaltou que a Guarda Municipal "é uma das principais instituições de fiscalização dos decretos contra o avanço da Covid no município de Dourados e tem cumprido com muito êxito missões diárias", conclui.

O caso - Parte da confusão foi gravada e compartilhada nas redes sociais. As imagens mostram o guarda pegando no braço da advogada e ela pedindo para que ele não encostasse nela. Durante a abordagem, Thalita ainda pede para que o agente chame uma guarda mulher.

A gravação tem apenas 30 segundos, não mostra a advogada entrando na viatura, mas ela afirma que não resistiu ao receber a ordem de entrar no veículo, apesar do vídeo mostrar ela argumentando contra a medida. Em seguida, a viatura saiu do local e foi ao encontro de outra guarnição onde tinha uma agente mulher, para fazer a revista pessoal da advogada. “Me tiraram do camburão com todas as pessoas vendo, me colocaram para a guarda fazer a revista na frente de todos”, se queixou a mulher ao Campo Grande News.

A situação chegou até a OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul), que nesta manhã (8), emitiu uma nota de repúdio contra a ação dos guardas e também pediu o afastamento imediato dos agentes por abuso de poder.



Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário