ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Jornalista estrangeiro é agredido por seguranças de fazenda em MS

Repórter canadense, a mulher dele e outro profissional faziam matéria em área ocupada por indígenas

Por Helio de Freitas, de Dourados | 23/11/2023 10:41


Um jornalista canadense, a mulher dele, brasileira, e outro profissional de imprensa que os acompanhavam, foram agredidos nesta quarta-feira (22) por seguranças de uma fazenda localizada no município de Iguatemi, na região sul de Mato Grosso do Sul.

Em vídeo divulgado na rede social X (antigo Twitter) pelo jornalista Leandro Barbosa, o repórter canadense, a esposa e o outro brasileiro contam detalhes das agressões, praticadas por pelo menos 30 homens em caminhonetes (veja os depoimentos no vídeo acima).

O Campo Grande News apurou que as agressões teriam ocorrido em fazenda ocupada recentemente por indígenas Guarani-Kaiowá. No vídeo, os jornalistas contam que conseguiram escapar dos jagunços, mas tiveram câmera, outros equipamentos e até passaporte confiscados pelos homens armados.

“Estávamos indo para outra retomada, depois de ouvir que algumas pessoas foram sequestradas e machucadas e que levaram tiros. Estávamos documentando a luta por terra dos Guarani. Nos identificamos claramente como jornalistas, explicando a razão pela qual estávamos lá. Umas 30 pessoas vieram até nós com caminhonetes e armas”, afirmou o canadense.

Após deixarem a área, os três conseguiram chegar até Amambai e foram resgatados por equipes de órgãos federais que estão na região acompanhando a Aty Guasu (grande assembleia) do povo Guarani-Kaiowá que acontece em Caarapó.

A reportagem apurou que uma família indígena, formada pelo homem, a esposa grávida e dois filhos pequenos, teria sido sequestrada pelos jagunços, o que motivou a ida do jornalista canadense ao local. Eles teriam sido soltos logo em seguida.

Representantes de órgãos federais que vieram de Brasília para acompanhar a Aty Guasu acionaram a Polícia Federal. A Superintendência da PF informou que policiais de Naviraí fizeram diligências nas localidades próximas à aldeia e que uma "Notícia de Crime" foi instaurada.

Sobre a afirmação das vítimas de que as agressões teriam ocorrido na presença de policiais militares e policiais do DOF, o diretor do Departamento de Operações de Fronteira, coronel Everson Rozeni, informou que a equipe abordou o carro com os jornalistas, mas negou que estivessem presentes quando teriam sido agredidos.

"Nossa equipe não presenciou o fato, abordaram eles não estrada. Havendo comunicação formal , irei instaurar procedimento investigatório", afirmou o diretor.

*Matéria alterada às 11h16 para acréscimo de informações.

Receba as principais notícias do Estado pelo WhatsApp. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias