A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

01/10/2019 23:00

Manifestantes impedem acesso de viaturas e bebê morre em aldeia

A criança estava com vômito, diarreia e morreu enquanto manifestantes bloqueavam acesso à aldeia

Adriano Fernandes e Helio de Freitas
Caixão onde o bebê foi transportado pelos agentes da funerária. (Foto: Direto das Ruas) Caixão onde o bebê foi transportado pelos agentes da funerária. (Foto: Direto das Ruas)

Um bebê, de apenas 1 ano e oito meses, morreu no começo desta noite (1º) na aldeia Bororó que fica na reserva indígena de Dourados, a cerca de 233 quilômetros de Campo Grande. A criança estava com vômito e diarreia, mas a causa da morte ainda está sendo investigada. 

O Corpo de Bombeiros e uma ambulância da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena) chegaram a ser acionados quando o menino ainda estava vivo, mas as equipes foram impedidas de entrar na aldeia pelos manifestantes que desde essa manhã, protestam na rodovia MS-156 contra a suspensão do transporte escolar na região.

Após a morte da criança o corpo foi levado pelos indígenas até o bloqueio, para que a funerária de plantão o transportasse até o IML (Instituto Médico Legal) da cidade. A mãe do menino está prestando depoimento à polícia, neste momento. Ela foi levada à delegacia pelo motorista da ambulância da Secretaria, o mesmo que foi impedido de entrar na aldeia por causa do bloqueio.



Nada justifica tamanha hipocrisia dos indígenas impedindo socorro médico para a criança, ela não tinha culpa dos atos animais manifestados por esses malditos, devem ser responsabilizados pela omissão e por seus crimes, pagando com a liberdade, o chefe da aldeia Bororó deve ser responsabilizado e carregar esse fardo ate sua morte. Maldito, a pena nesse caso deve ser mais severa e danosa.
 
Ton em 02/10/2019 08:15:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions