ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Interior

Matador parou ao lado de vigia no semáforo e disparou 20 tiros de pistola

Uma das linhas de investigação é de que Gilmar tenha sido morto por engano; ele tem irmão gêmeo

Helio de Freitas, de Dourados | 19/08/2021 11:42
Corpo de vigia de escola caído ao lado de moto, no centro de Ponta Porã. (Foto: Direto das Ruas)
Corpo de vigia de escola caído ao lado de moto, no centro de Ponta Porã. (Foto: Direto das Ruas)

O pistoleiro que executou o servidor público municipal Gilmar Alfonso Canofe, 36, hoje (19), em Ponta Porã (a 323 km de Campo Grande), também estava de moto e parou ao lado da vítima para disparar os tiros fatais.

Segundo dados já apurados pela polícia, Gilmar tinha saído do local onde trabalhava de vigia – a Escola Conceição Capiberibe Saldanha, no Residencial Emílio de Andrade – e seguia pela Rua Antônio João em uma moto estrangeira marca Kenton, semelhante à Honda Biz.

No cruzamento com a Rua Guia Lopes, ele parou no semáforo e o pistoleiro parou ao lado e começou a atirar. A execução ocorreu em frente à sede da Prefeitura de Ponta Porã, em ponto de grande movimento.

Peritos da Polícia Civil recolheram 20 cápsulas deflagradas de pistola 9 milímetros e seis projéteis deflagrados. Gilmar caiu com as pernas sob a moto e morreu no local. O atirador fugiu e ainda não foi localizado.

O SIG (Setor de Investigações Gerais) já começou a atuar no caso. Imagens de câmeras instaladas próximas ao local foram recolhidas para tentar identificar o criminoso.

Gilmar Alfonso Canofe.
Gilmar Alfonso Canofe.

Irmão gêmeo – O Campo Grande News apurou que uma das linhas de investigação da polícia é de que Gilmar tenha sido morto por engano. O alvo seria o irmão gêmeo dele, Gilberto. Entretanto, os policiais não descartam outras motivações.

Na fronteira, surgiram boatos de que os gêmeos teriam matado dois irmãos no Paraguai, há alguns anos e que o crime de hoje, seria vingança por essas mortes.

Entretanto, a reportagem apurou que Gilmar e Gilberto foram inocentados do crime em território paraguaio, após o verdadeiro autor ser preso. Contra eles, não existe nenhuma denúncia criminal.

Também surgiram boatos de que a moto pilotada por Gilmar seria do irmão dele, mas o veículo possui registro no Paraguai, em nome do vigia morto hoje. Gilberto também é vigilante patrimonial do município, aprovado no mesmo processo seletivo que o irmão, no ano passado.

Nos siga no Google Notícias