ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Ônibus que liga MS ao Paraguai foge de controle sanitário na fronteira

Passageiros desceram de ônibus da Cometa del Amambay em Ponta Porã para entrar a pé em Pedro Juan Caballero

Helio de Freitas, de Dourados | 18/03/2020 08:51
Ônibus da empresa Cometa del Amambay tentou burlar controle sanitário em Pedro Juan Caballero (Foto: ABC Color)
Ônibus da empresa Cometa del Amambay tentou burlar controle sanitário em Pedro Juan Caballero (Foto: ABC Color)

Ônibus da empresa Cometa del Amambay, que faz a linha internacional entre o Brasil e o Paraguai, tentou burlar o controle sanitário instalado na fronteira pelo governo paraguaio para impedir a proliferação do novo coronavírus.

De acordo com o site Pedro Juan Digital, na manhã desta quarta-feira (18), ônibus vindo de São Paulo, com escala em Campo Grande – cidade já com seis casos confirmados da doença – parou em Ponta Porã para que passageiros descessem do veículo e cruzassem a fronteira a pé com direção a Pedro Juan Caballero. Do outro lado da fronteira, todos entraram de volta no veículo.

O jornal ABC Color noticiou que o ônibus também passou direto pelo posto de controle de migrações, mas foi seguido até o terminal rodoviário e todos os passageiros serão colocados em quarentena.

Conforme autoridades paraguaias, desde o início desta semana, brasileiros que chegam ao Paraguai são informados sobre as medidas sanitárias adotadas por causa da pandemia do novo coronavírus e orientados a voltar para o país de origem. Entretanto, em Pedro Juan Caballero, devido à fronteira aberta, separada apenas por uma rua, é quase impossível evitar a entrada.

O médico Hugo González, diretor do Hospital Regional de Pedro Juan Caballero, disse que a equipe sanitária faz seu trabalho, mas não tem poderes para punir as pessoas que descumprem as medidas sanitárias.

Já o chefe do posto migratório César Duarte afirmou que as unidades de transporte internacional de passageiros estão obrigadas a passar pelo controle, mas admitiu ser impossível controlar toda a fronteira seca.

Nos siga no Google Notícias