ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  01    CAMPO GRANDE 19º

Interior

Polícia continua buscas por homem que matou ex com tiro na cabeça

Crime aconteceu em Aquidauana, no dia 3 de abril. A vítima havia denunciado ameanças feitas pelo suspeito e tinha medida protetiva

Por Geisy Garnes | 08/04/2020 15:46
Suspeito era agressivo e foi condenado por outro homicídio. Ele segue foragido (Foto: Divulgação)
Suspeito era agressivo e foi condenado por outro homicídio. Ele segue foragido (Foto: Divulgação)

A polícia continua as buscas por Reinaldo Dei Carpes Rocha, de 39 anos, que no dia 3 deste mês assassinou com um tiro na cabeça a ex-mulher Ariadini Molina, de 26 anos. O crime aconteceu em Aquidauana – cidade a 135 quilômetros de Campo Grande.

Reinaldo não é visto desde o dia do crime, quando saiu da fazenda em que trabalhava, na região do Pantanal, foi até a cidade, matou a ex-mulher e fugiu em uma moto. O suspeito, no entanto, está foragido da justiça desde fevereiro, quando um mandado de prisão por outro homicídio foi expedido em seu nome.

Conforme apurado pelo Campo Grande News, Reinaldo foi condenado a 14 anos de prisão, em regime fechado, pelo assassinato de Anderson Cardoso Barbieri. O crime aconteceu em julho de 2012, em uma fazenda também no pantanal.

Segundo denúncia do Ministério Público, ele e um comparsa agrediram a vítima até a morte após uma discussão por motivo fútil. Reginaldo só foi condenado em 2018.

Para a reportagem, a delegada Joilce Silveira Ramos, titular da Deam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Aquidauana, contou que foi justamente essa condenação que fez o suspeito fugir da cidade no começo do ano. Isso ajudou no processo de separação entre ele e a vítima, que viviam um relacionamento conturbado há seis anos.

Ao longo do tempo em que viveu com o autor, a vítima foi agredida várias vezes e registrou seis boletins de ocorrência contra ele. Reinaldo cometia violência física e psicológica contra a mulher, com quem teve duas filhas.

Mesmo após o fim do relacionamento, Reinaldo continuou procurando Ariadini. Por telefone fez diversas ameaças de morte. Na tentativa de se proteger, a mulher procurou a Delegacia de Atendimento à Mulher em março deste ano, registrou um boletim de ocorrência contra o ex e pediu medida protetiva.

Na denúncia, Ariadini contou que o ex afirmou que sairia do pantanal, onde estava escondido, apenas para matá-la. Dias depois, cumpriu as ameaças. “O crime foi premeditado. Ele foi ao local exclusivamente para matar ela”, reforçou a delegada no dia do crime.

Quem tiver informações sobre o paradeiro do criminoso pode entrar em contato com a Deam de Aquidauana pelo telefone (67) 3241-1172.