A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Outubro de 2019

03/10/2019 18:26

Prefeitura volta a escalonar salários e paga 6 mil servidores na 2ª-feira

Vencimentos saem para 80% dos trabalhadores da Educação que ganham até R$ 3,9 mil e servidores com salário de até R$ 5.739

Humberto Marques e Helio de Freitas, de Dourados
Pouco mais de 800 servidores da administração douradense não receberão na segunda-feira. (Foto: PMD/Divulgação)Pouco mais de 800 servidores da administração douradense não receberão na segunda-feira. (Foto: PMD/Divulgação)

Na mira do Ministério Público de Mato Grosso do Sul por escalonar salários dos servidores, a Prefeitura de Dourados –a 233 km de Campo Grande– anunciou que voltará a depositar os vencimentos de apenas parte do funcionalismo até o quinto dia útil. Os vencimentos serão liberados na segunda-feira (7) para 6.350 funcionários, segundo confirmou, via assessoria, o secretário municipal de Fazenda, Carlos Dobes.

Os servidores que receberão no início da próxima semana têm salários de até R$ 5.739. Também foi garantido que 80% dos trabalhadores da Educação, que têm vencimentos líquidos de até R$ 3,9 mil, terão os salários creditados.

“Ainda na primeira quinzena de outubro serão liberados os salários dos 828 servidores que recebem salários líquidos superiores a R$ 5.740”, afirmou Dobes. O pagamento representa a liberação de R$ 14,4 milhões.

O pagamento escalonado é resultado da crise financeira que atinge a administração municipal, que alega queda em repasses e receitas próprias e, em virtude da má situação, anunciou medidas que vão do corte de custeio ao desligamento de servidores comissionados. A medida, porém, causou reações entre os servidores.

Em 6 de setembro, servidores de Nível Superior –que, em maioria, integram os maiores proventos e não receberam os salários em dia– denunciaram a prefeitura ao MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), por conta do escalonamento.

Documento direcionado ao promotor Ricardo Rotunno, da 16ª Promotoria de Justiça, assinado por cirurgiões dentistas, enfermeiros e nutricionistas acusam a prefeita Délia Razuk (PTB) de ignorar recomendação do órgão de pagar o mesmo percentual a todos os servidores enquanto durar a crise. A denúncia também afirma que a administração municipal de jogar servidores de Nível Superior, “que são os responsáveis técnicos pelos serviços prestados aos moradores”, contra os demais funcionários e a população.

Eles afirmam sofrer com o escalonamento desde outubro de 2017, sem receber correção monetária pelos valores atrasados. “Desde o começo do escalonamento de salários, a justificativa dada para o não pagamento das faixas salariais maiores é que seria uma forma mais justa. Usando o valor do salário como emblema de justiça, (a prefeitura) esquece que todas as faixas salariais recebem pagamentos compatíveis e diretamente proporcionais ao investimento realizado em educação e a responsabilidade pelo serviço prestado”, reclamam os servidores.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions