ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 14º

Interior

Presa durante 2 meses pelo marido, mulher vivia sem água e luz

Todas portas estavam trancadas e o marido saía pelo telhado com a ajuda de uma escada para mulher não fugir

Por Ana Beatriz Rodrigues | 17/05/2022 15:46
Vítima na espera para denunciar violência doméstica; cena diária na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) de Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Vítima na espera para denunciar violência doméstica; cena diária na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) de Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

Uma mulher de 33 anos foi socorrida na tarde desta terça-feira (17) após passar dois meses em casa, presa pelo próprio marido. Além disso, a vítima  sofria violência doméstica. O caso aconteceu em Aparecida do Taboado, município que fica a 457 quilômetros da Capital.

A mulher relatou que o homem, de 35 anos, a agredia com socos, chutes e pauladas. Segundo ela, o marido é usuário de drogas e vendeu todos os móveis para comprar entorpecentes.

Na casa, não havia luz ou água e as condições eram insalubres. Assim que a equipe da Polícia Civil chegou à residência, percebeu que havia objetos que trancavam a porta para evitar que a vítima fugisse.

De acordo com o boletim de ocorrência, todas as portas estavam trancadas e o autor saía pelo telhado com a ajuda de uma escada.

Com vários ferimentos pelo corpo, inclusive, no crânio, a mulher foi levada até um hospital da cidade. A lesão na cabeça foi causada por um golpe com pedaço de pau. Ela foi medicada e depois levada para prestar depoimento na delegacia.

O autor, de 35 anos, foi preso em flagrante por lesão corporal dolosa qualificada por violência doméstica e cárcere privado.

Nos siga no Google Notícias