ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  15    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Professores aproveitam delivery para entregar tarefa a alunos na fronteira

Estudantes paraguaios moram em Pedro Juan Caballero, mas estudam em Ponta Porã

Por Helio de Freitas, de Dourados | 30/07/2020 09:01
Estudante paraguaio deixa barraca do delivery levando conteúdo entregue por professoras brasileiras (Foto: Marciano Candia)
Estudante paraguaio deixa barraca do delivery levando conteúdo entregue por professoras brasileiras (Foto: Marciano Candia)

Professores de Ponta Porã, cidade a 323 km de Campo Grande, estão aproveitando as barracas de delivery montadas na Linha Internacional para entregar conteúdo a estudantes que moram em Pedro Juan Caballero.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, a fronteira está fechada desde março deste ano. As aulas foram suspensas nas duas cidades e os alunos paraguaios matriculados em escolas de Ponta Porã, assim como ocorre nas demais cidades de Mato Grosso do Sul, passaram a estudar pela internet.

Entretanto, nem todos os estudantes paraguaios têm acesso ao material online. Para ao menos amenizar a situação, professores de Ponta Porã estão entregando o material impresso para aos alunos nos sete pontos de delivery montados pelos comerciantes da fronteira.

A professora Any Espínola disse ao jornal Última Hora que nem todos os alunos que moram em Pedro Juan Caballero têm acesso aos conteúdos virtuais e cobrou políticas públicas diferenciadas para a fronteira.

Ela contou que antes das barracas de delivery, as tarefas eram entregues sob a cerca de arame farpado instalada pelo Exército paraguaio em março.

“Antes os pais vinham, um a um, para retirar o material. Agora, com todos os cuidados e legalmente autorizado, é a melhor maneira”, disse a professora. Pelo menos cinco mil paraguaios estão matriculados em escolas de Ponta Porã.

Professoras de Ponta Porã que foram à barreira para entregar conteúdo a alunos paraguaios (Foto: Marciano Candia)
Professoras de Ponta Porã que foram à barreira para entregar conteúdo a alunos paraguaios (Foto: Marciano Candia)