ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  06    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Promotor vai a gabinete de Délia Razuk e deixa prefeitura após cinco horas

Ricardo Rotunno comandou buscas da Operação Contágio na sede da Prefeitura de Dourados

Por Helio de Freitas, de Dourados | 15/07/2020 11:55
Promotor Ricardo Rotunno deixa sede da Prefeitura de Dourados (Foto: Adilson Domingos)
Promotor Ricardo Rotunno deixa sede da Prefeitura de Dourados (Foto: Adilson Domingos)

Antes de deixar o CAM (Centro Administrativo Municipal), onde ficou por cinco horas coordenando as buscas da Operação Contágio, o promotor de Justiça Ricardo Rotunno foi até o gabinete da prefeita de Dourados Délia Razuk (PTB).

Titular da 16ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social da Comarca de Dourados, Rotunno saiu do bloco da Secretaria de Fazenda, subiu a rampa sozinho e foi até o bloco superior, onde fica o gabinete da prefeita.

Veja o vídeo:

A reportagem apurou que o encontro foi rápido. Em seguida, ele deixou o CAM, mas equipes do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado) permaneceram no prédio localizado na Rua Coronel Ponciano. Não houve buscas no bloco onde fica o gabinete de Délia Razuk.

Equipes do Gaeco vasculharam o bloco da Secretaria de Fazenda, cujo titular, Carlos Francisco Dobes Vieira, é um dos alvos da operação. Também fizeram buscas na Procuradoria-Geral do Município, comandada pelo braço-direito da prefeita, o advogado Sérgio Henrique Pereira Martins de Araújo.

A casa de Sérgio Henrique e o apartamento de Carlos Dobes também foram alvos das buscas desta quarta-feira. Os policiais também estiveram na Secretaria de Saúde e na casa da ex-titular da pasta, Berenice Machado de Souza.

De acordo com o Ministério Público, a Operação Contágio foi deflagrada para desvendar esquema envolvendo dispensa fraudulenta de licitação para compras de produtos e equipamentos voltados a enfrentar a pandemia do novo coronavírus em Dourados.

A operação é coordenada pelas 16ª,   10ª,  11ª e 17ª Promotorias de Justiça de Dourados e pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado), com apoio do Bope e do Choque, grupos de elite da Polícia Militar.

Em Dourados e na Capital estão sendo cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, além de 12 mandados com a fixação de medidas cautelares criminais contra os investigados – servidores públicos e particulares.

Entre as medidas estão afastamento dos cargos públicos e proibição de contratar com o poder público. Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal de Dourados. Sérgio Henrique e Carlos Dobes estariam entre os afastados.

Conforme o MP, a organização criminosa atuava em diversas fraudes para dispensa de licitação na aquisição de produtos e equipamentos feitos pela prefeitura desde março deste ano, quando foi declarada a pandemia da covid-19.