ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 13º

Interior

Quarteto do PCC que matou rival na frente da mãe é condenado a 58 anos de prisão

Julgamento aconteceu em Itaporã, sob forte esquema de segurança

Por Adriano Fernandes e Helio de Freitas | 06/07/2022 00:03
Os quatro condenados por matarem homem em Itaporã. (Foto: Adilson Domingos)  
Os quatro condenados por matarem homem em Itaporã. (Foto: Adilson Domingos)

Levados a julgamento nesta terça-feira (05), em Itaporã, pela execução de Anderson Martins dos Reis, de 33 anos, quatro integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital), acabaram condenados a 58 anos de prisão.

Alex Sander Mayer, conhecido como o “Caçador de Alma”, foi o que pegou a maior pena, 21 anos homicídio qualificado e porte de arma. Miguel Augusto Souza dos Santos, o “XT”, foi condenado a 19 anos homicídio duplamente qualificado e Kaio Cezar Cardoso Nunes, o “Coringa”, a 16 anos, pelo mesmo crime. Harison Albert Sabino Souza,  o “Negão”, é quem vai ficar menos tempo atrás das grades, foram dois anos de condenação.

O julgamento do quarteto aconteceu hoje, depois de muitas tentativas da defesa de anular a sessão. Com um forte aparato de segurança, contado com a presença do grupo especializado em escolta da Polícia Penal, o COPE (Comando de Operações Penitenciária) e Polícia Miltar, cerca de 25 policias escoltaram o prédio onde ocorreu o julgamento.

O crime - Anderson Martins foi assassinado na frente da mãe dele em junho de 2019.  Os criminosos teriam praticado o crime simplesmente porque a vítima falou que era simpatizante do Comando Vermelho. Anderson estava sentado em frente à casa onde morava com a mãe, no bairro Coemat.

Ele assistia a vídeos no celular quando os bandidos chegaram em um Celta preto e dispararam pelo menos cinco tiros, mas não atingiram o alvo. Anderson entrou na casa correndo, pediu para a mãe trancar as portas e se escondeu no banheiro. Os bandidos arrombaram a porta e mataram o homem a facadas.

Nos siga no Google Notícias